PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Condados do Colorado se somam ao movimento "santuário para armas de fogo"

29/03/2019 22h53

Denver (EUA), 29 mar (EFE).- Vários condados do Colorado seguiram o exemplo de outros estados americanos e se declararam nesta sexta-feira "santuários de armas de fogo", como resposta a um novo projeto de lei que restringe sua venda a pessoas com problemas de saúde mental diagnosticados profissionalmente.

A medida HB19-1177 foi aprovada na quinta-feira pelo Congresso do Colorado, mas não foi assinada pelo governador, Jared Polis, razão pela qual não foi ainda promulgada.

Conhecido como Ordem de Proteção contra Riscos Extremos, o projeto de lei permite que um familiar, uma pessoa que convive sob um mesmo teto ou um membro das forças da ordem peçam a um juiz que proíba certas pessoas a comprar, controlar, possuir ou receber armas de fogo temporariamente.

Imitando as jurisdições que se rejeitam a colaborar com o governo federal na política contra os imigrantes ilegais, condados de vários estados do país se transformaram em "santuários" para as armas de fogo ao rejeitar a aplicação de medidas que buscam um maior controle sobre as vendas.

A implementação em nível estadual de leis que regularizem mais as vendas não foi bem recebida por xerifes que lideram o movimento para proteger a Segunda Emenda à Constituição americana, que protege o direito a portar armas.

Nesse contexto, quase metade dos 64 condados de Colorado anunciaram que não farão cumprir a medida HB19-1177 ou aprovaram resoluções a favor de não fazê-lo.

De fato, 12 condados deste estado se declararam "santuários da Segunda Emenda".

O xerife Steve Reams, do condado Weld, afirmou em declarações à imprensa local que a HB19-1177 "infringe os direitos constitucionais" e "poucos faz para responder aos problemas de saúde mental".

Segundo Reams, se a nova legislação entrar em vigor, como está previsto, em janeiro de 2020, "os agentes da ordem estarão em perigo".

O motivo que levou os legisladores Tom Sullivan e Alec Garnett (ambos democratas) a propor a lei foi a morte em dezembro de 2017 do assistente de xerife Zackari Parrish, do condado de Douglas, nas mãos de um indivíduo armado e com um histórico de problemas mentais.

Ao mesmo tempo, o xerife do próprio condado, Tony Spurlock, começou a tramitar o projeto de lei pouco depois da morte do seu subordinado e desde então se transformou em um dos principais impulsores da medida. Mesmo assim, também esse condado se opõe à HB19-1177.

Até o momento, 31 condados de Colorado e uma cidade (Craig) aprovaram ordenanças locais como "santuários" nos quais não se atuará segundo a nova lei.

Como resposta, o promotor estadual, Phil Weiser, opinou que os xerifes sem a vontade ou capacidade para fazer cumprir a lei "deveriam renunciar".

Os condados do Colorado se somaram assim aos do Novo México, onde 23 dos 33 condados também se opõem a leis sobre o controle de armas; aos de Washington, onde mais da metade dos 39 condados também se opõem, e aos de Illinois, com 63 condados "santuários", entre outros estados. EFE

Internacional