PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Resultados preliminares apontam Zuzana Caputova como nova presidente eslovaca

30/03/2019 20h49

Praga, 30 mar (EFE).- A ecologista liberal Zuzana Caputova venceu neste sábado o segundo turno das eleições presidenciais da Eslováquia, conforme os resultados preliminares divulgados pelo Escritório de Estatísticas do país.

Com 63,85% dos votos apurados, a advogada, de 45 anos, tem 58,35% dos apoios. O diplomata e vice-presidente da Comissão Europeia, Maros Sefcovic, está com 41,64%. Considerada europeísta e progressista, Zuzana será a primeira mulher a ocupar este cargo no país, que é membro da União Europeia e da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan).

As eleições foram marcadas pelo duplo assassinato do jornalista Jan Kuciak e sua noiva há pouco mais de um ano. Ele investigava vínculos da máfia com os círculos do poder. O escândalo gerou a maior onda de protestos no país desde a queda do regime comunista há 30 anos.

Desconhecida até pouco tempo atrás, Zuzana convenceu a maioria dos cidadãos com uma mensagem clara a favor de justiça, transparência e decência na política há duas semanas, no primeiro turno. Já então conquistou o primeiro lugar, com mais de 40% dos votos, muito à frente de Sefcovic (19%) e dos outros 11 candidatos. O triunfo de hoje tinha sido previsto por todas as pesquisas de intenção de votos.

Embora independente, Sefcovic foi o candidato apoiado pelo governamental partido social-democrata Smer, liderado pelo ex-primeiro-ministro Robert Fico, que foi forçado a renunciar após o assassinato de Kuciak. Zuzana Caputova substituirá Andrej Kiska, que não quis se candidatar e apoiou à candidatura dela.

O cargo de presidente, com um mandato de cinco anos, é fundamentalmente representativo e sem competências executivas, mas pode ter importante papel na nomeação de altos cargos da Justiça e em caso de crise política.

Com 5,4 milhões habitantes, cerca de 4,4 milhões estavam habilitados a votar neste sábado em quase 6 mil colégios eleitorais. A participação nas urnas foi de 40,71%.

A previsão é de que resultado final seja divulgado amanhã. EFE

Internacional