PUBLICIDADE
Topo

Israel reabre passagens fronteiriças com Gaza e suspende veto a área de pesca

31/03/2019 12h34

Jerusalém, 31 mar (EFE).- Israel reabriu neste domingo as passagens fronteiriças com a Faixa de Gaza, que está sob bloqueio desde 2007, depois de uma semana de fechamento após o lançamento de um projétil palestino que feriu sete israelenses (três deles menores de idade), o que desembocou em uma onda de violência que colocou a região à beira de um novo conflito.

As autoridades israelenses permitiram novamente o trânsito de pessoas pela passagem de Erez e o de mercadorias através da de Kerem Shalom, que desde a segunda-feira permaneciam fechadas, exceto para casos humanitários e coordenações especiais com o COGAT, o órgão militar israelense encarregado de gerenciar os territórios palestinos ocupados, informou hoje a rádio do exército israelense.

Além disso, o governo israelense suspendeu a proibição de pesca que havia sobre o litoral de Gaza desde então e, segundo a rádio, houve um aumento da área destinada à atividade.

Israel se comprometeu a abrir a fronteira depois que o movimento islamita Hamas, que controla a Faixa, conteve ontem os protestos do aniversário da Grande Marcha do Retorno, que começaram há um ano nos arredores da linha fronteiriça com manifestações contra o bloqueio e exigindo o retorno dos refugiados a seus lares, detalhou o jornal "Times of Israel".

A reabertura ocorreu mesmo depois que milícias palestinas lançaram ontem à noite cinco projéteis contra o território israelense, que não causaram vítimas e não foram reivindicados por nenhum grupo.

Na última segunda-feira, o Hamas anunciou que tinha chegado a um acordo de cessar-fogo com Israel graças à mediação egípcia de emergência que pôs fim à brusca escalada de tensão provocada pelo disparo de foguetes palestinos contra Israel, que foram respondidos por bombardeios da aviação israelense sobre alvos militares islamitas.

Israel, como fez em outras ocasiões, não se pronunciou sobre a trégua, mas a imprensa local afirma que o Egito segue intermediando entre as partes, que estariam perto de alcançar um cessar-fogo de longa duração.

De acordo com esse pacto, a área de pesca em Gaza, limitada pelo bloqueio israelense a entre seis e nove milhas náuticas, seria expandida para 15 milhas e haveria um aumento no número de caminhões comerciais com permissão para entrar na Faixa, segundo a rádio nacional "Kan".

Por outro lado, o Hamas, que Israel responsabiliza pela violência procedente da Faixa de Gaza, se comprometeria a manter a calma e a encerrar as ações das brigadas noturnas de protesto que são registradas diariamente nos arredores da cerca fronteiriça. EFE