PUBLICIDADE
Topo

Polícia de Bangladesh prende donos de prédio no qual 26 morreram em incêndio

31/03/2019 05h48

Daca, 31 mar (EFE).- Dois dos proprietários do arranha-céus incendiado na quinta-feira em Daca, onde morreram 26 pessoas e 73 ficaram feridas, foram detidos pela polícia depois que foi constatado que o edifício que ardeu durante várias horas não tinha saídas de emergência, informaram neste domingo as autoridades.

Um dos proprietários do edifício situado na exclusiva área de Banani, Tasvir Ul Islam, foi detido na noite de sábado, enquanto S.M.H.I. Faruque foi detido na madrugada de hoje, segundo disse à Agência Efe o detetive-chefe da polícia de Daca, Mashiur Rahman.

"O edifício tinha falhas de engenharia e tinha algumas áreas ilegais. Também carecia de medidas de segurança contra incêndios. Os proprietários foram acusados de negligência", declarou.

O chefe policial comentou ainda que as autoridades estão buscando o construtor do edifício, o terceiro acusado neste caso.

O incêndio aconteceu na tarde de quinta-feira em um dos andares inferiores do edifício, situado em uma zona comercial da capital bengalesa.

Muitas pessoas ficaram presas em seu interior durante o incêndio, já que o edifício não tinha portas de emergência.

As autoridades de Bangladesh prometeram tomar severas medidas contra as violações de segurança nos edifícios, e o governo qualificou as mortes como "assassinatos".

Bangladesh esteve durante anos sob escrutínio devido às suas precárias condições no que se refere à segurança industrial.

De acordo com dados dos Serviços de Bombeiros de Bangladesh, entre 2004 e 2018, 1.970 pessoas morreram no país asiático nos 89.923 incêndios registrados nesse período.

Apenas neste ano, aconteceram três grandes incêndios com vítimas mortais no país, o último deles o que em 20 de fevereiro arrasou sete edifícios na área velha da capital e deixou 70 mortos e dezenas de feridos. EFE