Topo

Trump adverte Biden que campanha de 2020 nos EUA "será desagradável"

2019-04-25T12:07:00

25/04/2019 12h07

Washington, 25 abr (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, deu "boas-vindas" ao ex-vice-presidente Joe Biden, que anunciou nesta quinta-feira que concorrerá à candidatura presidencial democrata para as eleições de 2020, mas alertou que a campanha será "desagradável".

"Bem-vindo à disputa, Sleepy (sonolento, em inglês) Joe. Só espero que você tenha a inteligência, que foi colocada em dúvida há muito tempo, de realizar uma campanha bem-sucedida nas primárias", disse Trump no Twitter, pouco depois que Biden anunciou sua pretensão de concorrer à indicação do Partido Democrata para as eleições presidenciais.

Trump prevê que Biden vai encarar na campanha coisas "desagradáveis". "Você terá que lidar com gente que tem ideias muito doentes e dementes. Mas se você conseguir, o verei na Ponto de Partida", acrescentou Trump em seu tuíte.

Biden, ex-senador e vice-presidente durante os dois mandatos de Barack Obama (2009-2017), justificou sua decisão de lançar sua candidatura por considerar que, com a reeleição de Trump, estão em jogo "os valores fundamentais", a "posição no mundo" e, inclusive, a democracia dos Estados Unidos.

Com o anúncio do político veterano, já são 20 os pré-candidatos que confirmaram que lutarão pela indicação democrata para as eleições presidenciais de 2020.

Desde o início do ano, Biden, de 76 anos, estava cogitando apresentar sua candidatura e já programou para a próxima segunda-feira o seu primeiro ato de campanha na Pensilvânia, seu estado natal.

Atualmente, as pesquisas situam na liderança das preferências de voto do Partido Democrata o senador Bernie Sanders, seguido por Biden, embora o ex-vice-presidente ainda não tivesse anunciado formalmente a sua candidatura.

Em seguida figuram o prefeito de South Bend (Indiana), Pete Buttigieg, a senadora Kamala Harris e em quinto lugar o ex-congressista estadual do Texas Beto O'Rourke.

Biden já foi candidato a indicação do Partido Democrata para as eleições presidenciais em 1988 e 2008, mas perdeu em ambas as disputas e formou chapa com Obama em suas duas eleições e mandatos.

Em 2015, antes das eleições presidenciais que deram a vitória a Donald Trump, Biden não quis registrar sua candidatura para evitar concorrer contra a então candidata democrata, Hillary Clinton, que tinha sido secretária de Estado de Obama. EFE

Mais Internacional