Topo

EUA alertam que drones chineses podem estar enviando informações a Pequim

20/05/2019 19h35

Washington, 20 mai (EFE).- O governo dos Estados Unidos divulgou um alerta sobre a possibilidade de alguns drones fabricados por empresas da China estarem coletando informações sensíveis para enviá-las ao governo do país asiático.

A advertência foi feita de forma sigilosa a várias empresas pela Agência de Segurança Cibernética e Infraestrutura (Cisa) e confirmada pela Agência Efe com um porta-voz do órgão.

"A Cisa emitiu recentemente um alerta relacionado com os riscos inerentes associados ao uso de veículos aéreos não tripulados (drones) fabricados na China e medidas para reduzir tal risco", disse à Efe um porta-voz do órgão, que pediu anonimato.

Segundo a rede de televisão "CNN", que teve acesso ao alerta, a Cisa afirmou que esses drones representam risco potencial para as informações das empresas e contêm peças que podem comprometer dados.

Além disso, os drones seriam capazes de compartilhar dados coletados de servidores aos quais teriam acesso.

O novo alerta ocorre em meio à guerra comercial entre Estados Unidos e China, que se agravou nas últimas semanas. Um dos capítulos mais recentes envolve a Huawei, após a proibição do governo de Donald Trump de que empresas americanas façam negócios com a companhia que supostamente ameaçam a segurança do país.

A decisão fez com que o Google, um dos principais parceiros da companhia chinesa, anunciasse que deixará de atualizar o sistema operacional Android para os smartphones produzidos pela Huawei.

Apesar de o alerta da Cisa não citar fabricantes específicos, vários estudos de mercado afirmam que 80% dos drones utilizados nos EUA e no Canadá são da empresa chinesa DJI.

"A troca de informações é uma parte essencial da missão da Cisa como avaliadora do risco para a nação", disse um dos porta-vozes da agência em entrevista à Efe.

As suspeitas dos EUA sobre a capacidade dos drones da DJI de reunir e enviar informações sensíveis ao governo da China começaram em 2017, quando um documento similar indicava que esses equipamentos estavam fornecendo dados sobre infraestruturas críticas e assuntos de segurança a Pequim.

Também em 2017, o Exército dos EUA proibiu o uso de drones da DJI, alegando o mesmo motivo. EFE

Mais Internacional