Topo

Aliados de Duterte dominam Senado após eleições legislativas nas Filipinas

2019-05-22T07:09:00

22/05/2019 07h09

Manila, 22 mai (EFE).- A Comissão Eleitoral anunciou nesta quarta-feira, com vários dias de atraso, os resultados das eleições legislativas nas Filipinas, nas quais os apoiadores do presidente Rodrigo Duterte varreram a oposição.

O "Magic 12", ou seja, os 12 senadores que renovarão metade da composição da Câmara Alta por um período de seis anos, foram apresentados hoje em um ato formal no Centro Internacional de Convenções das Filipinas pelo presidente da Comissão Eleitoral, Sheriff Abbas.

A oposição ficou fora do Senado, a câmara mais influente e independente, o que significa que a agenda legislativa do presidente, que inclui medidas controversas como restabelecer a pena de morte ou reduzir a idade criminal de 15 para 12 anos.

Com o objetivo de respaldar 13 candidatos leais ao seu pai, a filha do presidente, Sara Duterte, criou a coalizão de partidos regionais Hugpong ng Pagbabago, que elegeu nove senadores, a maioria amigos pessoais da família e ex-assessores de seu governo.

À frente do "Magic 12" estava a senadora reeleita Cynthia Villar, aliada de Duterte e esposa Manuel Villar, dono da maior fortuna do país; seguida da também reeleita Grace Poe, candidata independente que perdeu em 2016 a corrida presidencial contra Duterte.

A participação eleitoral foi superior a 75%, as eleições legislativas, realizadas no dia 13 de maio, serviram para reforçar o poder do presidente, que chegou ao pleito com aprovação da população em 80%.

O anúncio do resultado das eleições foi adiado por três vezes devido a problemas com as máquinas de contagem de votos, o que provocou críticas de alguns setores devido à falta de transparência e atrasos no envio dos certificados de voto dos filipinos no exterior. EFE

Mais Internacional