Topo

EUA vão punir funcionários venezuelanos que lucram com plano de alimentos

22/05/2019 16h57

Washington, 22 mai (EFE).- O enviado dos Estados Unidos para a Venezuela, Elliott Abrams, disse nesta quarta-feira em entrevista à Agência Efe que o governo americano prepara sanções e processos contra funcionários públicos venezuelanos que supostamente lucram com o programa de alimentos subsidiados conhecido como Clap.

"Não temos uma data anunciada para as sanções e acusações que virão, mas este é um crime real, porque envolve o que os venezuelanos mais pobres precisam para sobreviver. Eles sabem que este programa é corrupto, nós sabemos, estamos investigando os detalhes, e muito mais virá", disse Abrams.

Perguntado sobre futuras ações, ele disse que os Estados Unidos anunciarão mais sanções com o decorrer do tempo e que o Departamento do Tesouro americano investiga há tempos a suposta corrupção no programa.

No início do mês, a pasta divulgou um relatório no qual afirmava que funcionários públicos usavam o Clap para lavar dinheiro que supostamente obtiveram através da corrupção e que, inclusive, embolsavam diretamente o dinheiro que o governo venezuelano destinava a esse plano. Segundo esse documento, os funcionários usam entidades em lugares como Turquia, Panamá e México para essas atividades.

O Clap (Comitês Locais de Abastecimento e Produção) entrega alimentos importados de baixo custo, a cada 15 dias, a mais de 6 milhões de pessoas, de acordo com o governo Maduro. A Assembleia Nacional (parlamento do país), controlada pela oposição, denunciou que o programa causou perdas patrimoniais milionárias por custos extras e corrupção. EFE

Mais Internacional