Topo

May se reunirá com seu grupo parlamentar em meio a pressões para renunciar

23/05/2019 05h45

Londres, 23 mai (EFE).- A primeira-ministra do Reino Unido, a conservadora Theresa May, se reunirá na sexta-feira com o presidente de seu grupo parlamentar, Graham Brady, para determinar seu futuro político, entre crescentes pressões para que apresente sua renúncia.

A reunião entre May e Brady, presidente do chamado "Comitê 1922", que reúne os deputados "Tories", ocorrerá um dia após a celebração no Reino Unido das eleições europeias, em que os conservadores podem sofrer um grave revés.

De acordo com os veículos de imprensa britânicos, a premier pode finalmente amanhã estipular a data de sua renúncia, embora, cada vez mais os deputados conservadores sua imediata saída.

Na noite de quarta-feira, a líder do grupo conservador na Câmara dos Comuns, Andrea Leadsom, encarregada da agenda parlamentar do governo, apresentou sua renúncia em descontentamento com a forma como a primeira-ministra administrou o "brexit".

Especificamente, Leadsom disse que não poderia apoiar as novas propostas de Theresa May para aprovar seu acordo da saída da UE, já que existe a possibilidade de que os deputados votem sobre um segundo referendo que apoiem ou rejeitem o pacto.

As propostas da chefe de Governo, que inclui também uma união aduaneira temporária, exacerbaram as tensões internas no Partido Conservador, particularmente entre a ala mais eurocética, totalmente oposta à realização de outro plebiscito.

Neste contexto, a saída da Leadsom adicionou mais pressão em May para finalmente apresentar sua renúncia, em um momento de grande crise no Reino Unido devido à incerteza sobre os termos de retirada do país do bloco europeu.

Além disso, os veículos de imprensa afirmam que a premier negou-se a se reunir ontem com alguns ministros, entre eles o do Interior, Sajid Javid.

O Reino Unido definiu sua retirada da UE - que inicialmente estava estabelecido para o final de março - para o próximo dia 31 de outubro.

Ontem, vários deputados declararam aos veículos de imprensa que May deveria renunciar o mais rápido possível e inclusive muitos estiveram ontem ausentes da sessão de perguntas à primeira-ministra.

Ela adiantou que hoje participará da campanha de seu partido para as eleições europeias. EFE

Mais Internacional