Topo

Trump acirra conflitos com China e Irã antes de embarcar rumo à cúpula do G20

26/06/2019 18h19

Alex Segura Lozano.

Washington, 26 jun (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, elevou nesta quarta-feira o tom das críticas a China e Irã, ao ameaçar impor mais tarifas à importação de produtos chineses e chamar os líderes da república islâmica de "egoístas e estúpidos".

Trump fez as declarações pouco antes de embarcar rumo a Osaka, para participar da cúpula do G20. No Japão, ele também se reunirá com o presidente da China, Xi Jinping.

Longe de tentar criar um ambiente mais amistoso para a reunião com Xi, Trump resolveu dobrar a aposta e voltou a utilizar a ameaça da aplicação de novas tarifas sobre a importação de produtos chineses antes de discutir um acordo comercial.

"Implementaria tarifas muito substanciais se não chegarmos a um acordo", afirmou o presidente americano em entrevista à "Fox Business".

A reunião em Osaka será a primeira dos dois presidentes desde dezembro do ano passado, durante a última cúpula do G20, em Buenos Aires, na Argentina, quando Trump e Xi estabeleceram uma trégua temporária na guerra comercial.

O "cessar-fogo" durou até maio, quando Trump elevou de 10% para 25% as sobretaxas a US$ 200 bilhões em produtos importados da China. Xi respondeu com uma medida similar sobre a compra de US$ 60 bilhões em itens feitos no território americano.

Na mesma entrevista, Trump disse que várias empresas estão deixando a China para não pagar os encargos aplicados por ele nos últimos meses. E ainda disse que algumas delas estão decidindo voltar aos EUA graças à estratégia comercial adotada por ele.

"Enquanto as tarifas continuarem, estaremos recebendo bilhões de dólares. Nunca no passado nós ganhamos algo, nem 10 centavos, agora temos outros US$ 325 bilhões sobre os quais ainda não apliquei encargos", disse Trump.

Apesar das ameaças, o presidente americano disse estar otimista sobre a possibilidade de fechar um acordo com Xi, mas ressaltou que os chineses precisam mais do pacto que os EUA.

Por outro lado, sobre o Irã, Trump disse hoje que os líderes do país seriam "egoístas e estúpidos" se não firmarem em breve um acordo com o governo americano.

"Não tenho certeza que os líderes deles estejam preocupados com o povo. Se estão, assinarão um acordo. Se não, é porque são egoístas e estúpidos", disse Trump a jornalistas na Casa Branca.

Para o presidente americano, a atual crise econômica do Irã, agravada pelas sanções aplicadas pelos EUA após a saída de Trump do acordo nuclear assinado em 2015, pode ser resolvida rapidamente, dependendo das intenções do líder supremo iraniano, Ali Khamenei.

A tensão entre os dois países subiu mais uma vez ontem, quando Trump alertou que responderá com uma "força arrasadora" qualquer ataque iraniano contra alvos americanos. Além disso, a Casa Branca impôs na segunda-feira sanções a Khamenei e a oito comandantes da Guarda Revolucionária do Irã.

Após avaliar as últimas manobras de Trump, Khamenei disse que a proposta de negociação americana foi um "engano" e ressaltou que seu país não recuará.

A crise será um dos principais temas da agenda da cúpula do G20, onde espera-se que China, Rússia e os países europeus tentem apaziguar a situação. EFE

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Internacional