Topo

Mercosul realiza primeira cúpula após assinatura de acordo com União Europeia

17/07/2019 15h02

Santa Fé (Argentina), 17 jul (EFE).- Os presidentes dos países do Mercosul iniciaram nesta quarta-feira na cidade de Santa Fé, na Argentina, a cúpula semestral na qual tratarão sobre o histórico acordo comercial com a União Europeia (UE) e buscarão dar impulso ao processo de integração regional.

O presidente da Argentina, Mauricio Macri, foi o encarregado de inaugurar a cúpula na qual passará a presidência pró-tempore ao líder brasileiro Jair Bolsonaro.

Nas palavras de boas-vindas, Macri disse que este "é um momento histórico para o Mercosul" e concedeu as palavras ao chanceler argentino, Jorge Fauri, para apresentar o relatório de gestão da presidência argentina do Mercosul neste semestre.

O Mercosul, fundado em 1991 por Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai, celebra a 54ª cúpula com uma atmosfera renovada graças ao acordo comercial alcançado com a União Europeia (UE) e agora procura acelerar pactos de livre-comércio com outros países e blocos econômicos, assim como sua consolidação e modernização.

Os chanceleres do bloco se reuniram nesta terça-feira para trabalhar nos documentos que serão assinados pelos presidentes na cúpula semestral da organização.

Um desses documentos será uma declaração sobre a crise política na Venezuela, segundo antecipou na terça-feira em entrevista coletiva o chanceler argentino, Jorge Faurie.

Após o histórico acordo com a UE, firmado depois de quase 20 anos de negociações, o Mercosul procura fechar acordos com a Associação Europeia de Livre-Comércio (EFTA, na sigla em inglês), integrada por Islândia, Noruega, Suíça e Liechtenstein, com o Canadá e com a Coreia do Sul.

Outro ponto dos debates é a busca por mecanismos que permitam que o acordo alcançado com a UE comece a vigorar de maneira provisória no menor tempo possível, assim que o mesmo for ratificado pelo Parlamento Europeu.

Além disso, o Mercosul quer aprovar uma série de resoluções para modernizar sua estrutura e dinamizar seu funcionamento.

Além de Macri e Bolsonaro, participam da cúpula os presidentes do Paraguai, Mario Abdo Benítez; do Uruguai, Tabaré Vázquez; assim como Sebastián Piñera, do Chile (país associado ao Mercosul); e Evo Morales, da Bolívia, que está em processo de adesão plena ao bloco.

Também estão presentes na cúpula representantes de Equador, Peru, Colômbia, Suriname e Guiana, países associados ao bloco. EFE

Internacional