Topo

Trump diz discordar de cânticos racistas contra congressista

18/07/2019 17h20

Washington, 18 jul (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse nesta quinta-feira discordar dos apoiadores que ontem entoaram cânticos racistas contra uma deputada muçulmana, Ilhan Omar, durante um de seus comícios.

"Não gostei de ouvir esses cantos. Não estou de acordo", afirmou Trump em declarações aos jornalistas desde o Salão Oval.

Trump se referia aos cânticos de "Mandem-na de volta! Mandem-na de volta!" enquanto ele criticava Omar durante o comício realizado na cidade de Greenville, no estado da Carolina do Norte.

Questionado sobre porque não interrompeu os cânticos, Trump disse que tentou. "Eu acho que fiz, porque comecei a falar logo em seguida".

No entanto, os vídeos do ato mostram que o presidente permitiu que seus seguidores entoassem a frase diversas vezes durante 13 segundos, tempo em que Trump não demonstrou incômodo, antes de seguir com seu discurso como o planejado.

O presidente sugeriu que os jornalistas interrogassem os presentes ao comício para descobrir porque cantaram essas palavras. "Eu diria que há mais energia na direita do que na esquerda".

As declarações de Trump foram dadas mais de 15 horas depois do término do comício, após o qual o presidente elogiou seus seguidores ao afirmar no Twitter que eram pessoas boas e que o entusiasmo iria "acabar com nossos rivais da esquerda radical".

Mas vários congressistas republicanos criticaram hoje os cânticos, entre eles o líder do Partido Republicano na Câmara dos Representantes, Kevin McCarthy, que disse que "não tem lugar no partido e nem no país", o que pode ter motivado a decisão de Trump de fazer a crítica. EFE

Mais Internacional