Topo

Trump ameaça Guatemala com vetos e tarifas por desacordo sobre imigração

23/07/2019 13h50

Washington, 23 jul (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ameaçou a Guatemala com "vetos, tarifas e impostos às remessas" nesta terça-feira porque, segundo o magnata, o país decidiu romper com um acordo inicial fechado com Washington relacionado à política chamada "terceiro país seguro".

"A Guatemala, que tem formado caravanas e enviado grande quantidade de gente aos EUA, algumas delas com antecedentes criminais, decidiu romper com o acordo que tinha conosco para a assinatura do necessário Acordo de Terceiro (País) Seguro", afirmou o governante americano no Twitter.

Trump se referia a um novo procedimento anunciado neste mês pelo governo, que consistia em estabelecer "países seguros", a princípio México e Guatemala, nos quais os estrangeiros que desejassem pedir asilo precisariam tramitar as solicitações se passassem por eles, de modo a não serem rechaçados ao chegarem aos Estados Unidos.

O presidente afirmou que o governo dos EUA estava preparado para "seguir adiante" com o acordo, mas que agora está estudando "vetos, tarifas e impostos às remessas" e que pode aplicar "todas" as opções.

Por fim, Trump lembrou que há nove meses suspendeu a ajuda que os Estados Unidos destinavam à Guatemala e que representavam uma grande "carga" aos contribuintes americanos.

Em março, o presidente dos EUA suspendeu a assistência americana de US$ 560 milhões a Guatemala, Honduras e El Salvador, após acusar os governos desses países de não impedirem o êxodo de seus cidadãos para os Estados Unidos.

O anúncio de Trump surpreende porque na segunda-feira o Departamento de Segurança Nacional (DHS, em inglês) anunciou em comunicado que ambas as partes "continuavam realizando grandes avanços" para adotar um "enfoque regional" para lidar com a imigração irregular.

"Ambos os países alcançaram vários acordos em termos de como reforçar a colaboração, ampliar a capacidade para receber imigrantes, adjudicar solicitações de asilo, alojamento e retirada de infraestruturas", detalhou o órgão americano.

No dia 15 de julho, o governo de Trump anunciou uma medida apresentada pelo Departamento de Justiça e o DHS que rejeitaria conceder asilo aos imigrantes que não tivessem feito a solicitação antes, em um país pelo qual tivessem passado antes de chegarem à fronteira dos EUA, o chamado "terceiro país seguro".

Para esse dia, Trump tinha previsto receber na Casa Branca o presidente da Guatemala, Jimmy Morales, mas o encontro foi cancelado de última hora, após a Tribunal Constitucional guatemalteca conceder um amparo provisório para que a Guatemala não fosse transformada em um terceiro país seguro para migrantes.

Tal acordo significaria que os migrantes de Honduras e El Salvador deveriam esperar na Guatemala pelo trâmite de solicitações de asilo nos Estados Unidos.

De acordo com um relatório do Banco da Guatemala, as remessas dos imigrantes guatemaltecos nos Estados Unidos às suas famílias chegaram a US$ 9,3 bilhões em 2018. EFE

Mais Internacional