PUBLICIDADE
Topo

Canadense detido na Síria desde 2018 é libertado no Líbano

09/08/2019 11h01

Beirute, 9 ago. (EFE).- O chefe da Segurança Geral do Líbano, general Abbas Ibrahim, anunciou nesta sexta-feira a libertação do cidadão canadense Kristian Lee Baxter, detido na Síria desde o fim de 2018 sob a acusação de violar as leis sírias.

"Agradeço ao Líbano por ter ajudado na minha libertação. Pensava que teria que ficar lá para sempre", afirmou o canadense em entrevista coletiva em Beirute, pouco antes de começar a chorar.

O Canadá solicitou a intervenção do Líbano para a libertação do cidadão, que chegou à Síria em 26 de novembro e cujo paradeiro se tornou desconhecido uma semana depois.

Segundo Ibrahim, a violação da lei síria foi grave e o governo de Damasco informou que o delito estava relacionado com a segurança nacional.

A Síria ainda não se manifestou sobre essa informação nem detalhou o paradeiro e o motivo pelo qual o canadense foi detido. Baxter também não divulgou detalhes sobre o que estava fazendo na Síria naquele momento.

O general libanês agradeceu à Síria pelas libertações de Baxter e também do cidadão americano Sam Goodwin, no mês passado, na qual o Líbano também interveio.

"O importante é que o senhor Baxter está conosco", acrescentou Ibrahim.

A embaixadora canadense, Emmanuelle Lamoureux, que acompanhava Baxter na entrevista coletiva, também agradeceu ao Líbano pela intervenção e "o resultado obtido".

Vários cidadãos ocidentais continuam desaparecidos na Síria desde o início da guerra civil, em 2011, que logo se tornou um conflito global, e alguns caíram nas mãos de grupos jihadistas.

Entre os indivíduos cujo paradeiro permanece desconhecido está o jornalista americano Austin Tice. Acredita-se que ele está vivo e detido na Síria desde 2012. EFE