Topo

Resgatistas buscam dois espeleólogos presos em caverna na Polônia

19/08/2019 08h07

Varsóvia, 19 ago (EFE).- Vários grupos de resgate seguem nesta segunda-feira com os trabalhos de busca por dois espeleólogos poloneses presos desde sábado em uma caverna nas montanhas Tatra, no sul da Polônia, após um aumento inesperado do nível da água.

"Ainda não conseguimos estabelecer contato com os dois desaparecidos", reconheceu nesta segunda-feira o porta-voz dos resgatistas, Krzysztof Dlugopolski.

A caverna onde os dois espeleólogos permanecem presos é a de Wielka Sniezna, perto da fronteira com a Eslováquia e uma das mais profundas da Polônia, formada por um complexo sistema de túneis, poços e rios subterrâneos.

Dlugpolski explicou que não está descartado o uso de explosivos para tentar facilitar o acesso ao local onde acredita-se que ambos possam estar.

As equipes de resgate descartam a possibilidade de que a água tenha bloqueado o acesso ao oxigênio, por isso que acredita-se que os espeleólogos estão vivos, mas com elevado risco de hipotermia pelas baixas temperaturas no interior dos túneis.

Dlugopolski reconheceu que é difícil determinar quanto pode durar a busca, já que as condições no interior da caverna estão em constante transformação pela ação da água subterrânea, que também pode pôr em perigo a ação dos grupos de resgate. EFE

Mais Notícias