Topo

Egito mata 11 supostos terroristas na Península do Sinai

Da EFE, no Cairo (Egito)

20/08/2019 14h43

O Ministério de Interior do Egito anunciou hoje que suas forças mataram 11 supostos terroristas no norte da Península do Sinai, no nordeste do país.

Em comunicado, o ministério afirmou que obteve informação sobre "um grupo de elementos terroristas escondidos em um terreno agrícola" no leste da cidade de El-Arish, capital do norte do Sinai.

O ministério indicou que os supostos terroristas "abriram fogo contra as forças de segurança na chegada ao esconderijo e os agentes responderam aos disparos e mataram 11 suspeitos".

Na nota de Interior, não está detalhado se houve baixas nas fileiras das forças de segurança egípcias e nem onde aconteceu exatamente a operação.

O Norte do Sinai é a base de operações de Wilayat Sina, grupo extremista filiado ao jihadista Estado Islâmico, que reivindicou a autoria de dezenas de ataques nos últimos anos.

A província permanece militarizada desde 2013, e desde 2018 o Exército e a polícia desenvolvem uma ofensiva contra o terrorismo na qual morreram mais de 700 supostos insurgentes e dezenas de membros dos corpos de segurança, segundo informações parciais do governo não verificadas independentemente.

O acesso à província do Norte do Sinai está vetado à imprensa e não é possível conseguir informação independente além da oferecida pelas autoridades.

A Human Rights Watch acusou as forças de segurança egípcias e a Wilayat Sina de cometer crimes de guerra e pediu que organismos internacionais investiguem o que está acontecendo na região.

Pirâmide de 4600 anos é aberta ao público no Egito

Band Notí­cias

Mais Notícias