Topo

Rebeldes de Ruanda sequestram 22 pessoas na República Democrática do Congo

18/09/2019 10h34

Kinshasa, 18 set (EFE).- Pelo menos 22 civis foram sequestrados na terça-feira, na cidade de Kisharo, no nordeste da República Democrática do Congo (RDC), por supostos membros das rebeldes Forças Democráticas pela Libertação de Ruanda (FDLR), confirmaram hoje à Agência Efe, fontes do Exército congolês.

"De fato, trata-se de um caso de sequestro", disse à Efe por telefone, o porta-voz da 33ª região militar das Forças Armadas do RDC (FARDC), comandante Ndjike Kaiko, enfatizando que eles estão tentando libertar "aquelas 22 pessoas".

Segundo esse oficial do Exército, a maioria desses civis foi sequestrada enquanto trabalhava no campo, enquanto o restante caiu nas mãos de rebeldes ruandeses naquela cidade, na província de Kivu do Norte.

"O número (de reféns) é muito alto e não vai continuar assim. A investigação continua e o Exército está se mobilizando em todas as direções para encontrar essas vítimas", afirmou Kaiko.

Além disso, o porta-voz disse que os mesmos agressores atacaram ontem as posições do Exército na cidade vizinha de Lusowa, em um evento que culminou com três mortes.

As FDLRs são compostas por hutus que fugiram da perseguição do governo de Ruanda em retaliação pelo genocídio de 1994 contra os tutsis e que foram amparados no país então chamado Zaire (hoje RDC), governado pelo ditador Mobutu Sese Seko.

Esse grupo é composto por membros do antigo exército ruandês e da milícia hutu ruandesa Interahamwe, e semeia terror entre a população civil da zona leste congolesa, rica em minerais e recursos naturais. EFE

Mais Notícias