Topo

Embaixada argentina em La Paz nega ter recebido ministro de Evo Morales

Carlos Romero é um dos ministros que anunciaram a saída do governo após a renúncia de Morales - REUTERS/Carlos Garcia
Carlos Romero é um dos ministros que anunciaram a saída do governo após a renúncia de Morales Imagem: REUTERS/Carlos Garcia

11/11/2019 16h16

La Paz, 11 nov (EFE) - A embaixada argentina em La Paz negou nesta segunda-feira que esteja dando abrigo ao ex-ministro de Governo da Bolívia, Carlos Romero, ou mesmo que ele tenha pedido asilo ao país depois de ter renunciado ao cargo em meio à crise que também levou à renúncia do agora ex-presidente Evo Morales.

"A República Argentina respeita o direito de asilo como um direito fundamental consagrado na Declaração Universal dos Direitos Humanos. No entanto, a Embaixada da Argentina na Bolívia informa que o ex-ministro de Governo Carlos Romero não está asilado nesta representação diplomática", destacou a delegação diplomática em breve pronunciamento.

Fontes do Ministério das Relações Exteriores da Argentina em Buenos Aires haviam afirmado que Romero estava sob guarda na embaixada em La Paz, o que não configuraria um asilo. Ele é um dos ministros que anunciaram em cascata a saída do governo após a renúncia de Morales neste domingo, em meio a protestos sobre alegações de fraude nas eleições de 20 de outubro.

O paradeiro de Evo Morales é desconhecido, já que ele se pronunciou na manhã deste domingo no hangar presidencial do aeroporto internacional de El Alto, uma cidade vizinha a La Paz, para anunciar que aceitou o pedido de novas eleições feito por opositores e por observadores da Organização dos Estados Americanos (OEA).

A aparição posterior, à tarde, já com o anúncio da renúncia, foi em transmissão televisiva de um lugar indeterminado, depois que a oposição e até mesmo a polícia e o Exército o exortaram a deixar a Presidência.

Internacional