PUBLICIDADE
Topo

Síria declara apoio a Evo Morales e condena "golpe militar" na Bolívia

11/11/2019 10h10

Damasco, 11 nov (EFE).- O governo da Síria condenou nesta segunda-feira o que chamou de "golpe militar" contra Evo Morales, que ontem anunciou sua renúncia à presidência da Bolívia em meio à violência e protestos após as eleições realizadas no último dia 20 de outubro.

"A República Árabe da Síria condena veementemente o golpe militar na Bolívia e expressa sua solidariedade ao legítimo presidente eleito Evo Morales", disse a agência oficial "Sana", citando uma fonte do Ministério das Relações Exteriores sírio.

A nota acrescenta que "a Síria renova seu apoio ao povo boliviano nessas circunstâncias difíceis", completa, enfatizando sua gratidão à Bolívia por suas posições nos assuntos árabes.

Além disso, o governo de Bashar al-Assad afirmou "apreciar o apoio da Bolívia à luta dos povos dos países latino-americanos contra a hegemonia americana e sua escandalosa interferência nos assuntos internos".

A Síria mantém relações amistosas com a Bolívia, bem como com outros países da América Latina, como Venezuela e Cuba.

Ontem, Morales confirmou sua renúncia à presidência após quase 14 anos no poder, com a saída da maior parte de seu governo, diante da onda de protestos nas últimas semanas motivada pelas acusações de fraude nas eleições do final do mês passado.

Também no dia de ontem, a Organização dos Estados Americanos (OEA) recomendou a repetição do primeiro turno das eleições e Morales anunciou que o pleito seria realizado novamente com um Tribunal Supremo Eleitoral renovado. EFE