PUBLICIDADE
Topo

Bolívia anuncia saída da Alba e estuda abandonar a Unasul

15/11/2019 16h16

La Paz, 15 nov (EFE).- A ministra interina das Relações Exteriores da Bolívia, Karen Longaric, confirmou nesta sexta-feira que o país sairá da Aliança Bolivariana para os Povos da Nossa América (Alba) e estuda se retirar da União de Nações Sul-Americanas (Unasul).

"Não fazemos mais parte do tratado da Alba. Estamos analisando a desvinculação do tratado da Unasul", disse Longaric em entrevista coletiva em La Paz, ao lado da ministra interina de Comunicação, Roxana Lizárraga.

Os países da Alba, liderados por Venezuela e Cuba, expressaram nesta sexta-feira, em Manágua, a confiança em reverter o "golpe de Estado" que, na opinião desses governos, foi dado a Evo Morales, que renunciou à presidência boliviana no domingo passado.

Nesse encontro, o chanceler escolhido por Morales, Diego Pary, que chegou à Nicarágua na quarta-feira, pediu para que a comunidade internacional não reconheça o governo da presidente interina Jeanine Áñez.

Uma das sedes da Alba está localizada na Bolívia. A ministra interina das Relações Exteriores também explicou que "já existe a decisão política e jurídica de sair" da Unasul, "um órgão que não beneficia em nada" a Bolívia.

"Mas é a Assembleia Legislativa que precisa processar a saída da Bolívia da Unasul, pois a adesão foi feita através da Assembleia. Além disso, a Unasul não existe mais. Praticamente todos os países-membros do Grupo de Lima abandonaram a Unasul e restaram quatro Estados, que estão sustentando economicamente um órgão que não existe", comentou.

O Legislativo boliviano é controlado atualmente pelo partido de Evo Morales, o Movimento ao Socialismo. EFE