PUBLICIDADE
Topo

Dono de fábrica em que 43 pessoas morreram na Índia é preso

08/12/2019 11h07

Nova Déli, 8 dez (EFE).- A polícia de Nova Déli, na Índia, anunciou neste domingo a prisão do dono da fábrica que foi atingida por um incêndio que resultou na morte de 43 pessoas e deixou 16 feridos, a maioria funcionários que dormiam nas instalações, como é comum no país.

A informação foi confirmada pela porta-voz da corporação, Monika Bhardwaj. O empresário, identificado como Rehan, e o gerente da empresa, foram detidos. Além disso, outras duas pessoas estão prestando depoimentos. O objetivo é encontrar o gestor de fato da fábrica.

De acordo com a agência de notícias indiana "ANI", os presos estão sendo acusados por provocar a morte de pessoas por negligência, o que pode resultar em penas de até dois anos de prisão.

Além disso, a representante da polícia garantiu que os corpos de todos os mortos já foram retirados do local da tragédia.

Os Bombeiros receberam telefonema por volta de 5h20 local (20h50 de ontem), que alertava sobre um incêndio na região de Anaj Mandi. Além dos 43 mortos e dos 16 feridos, a maioria que se recupera dos danos causados pela inalação de fumaça, outras 62 pessoas foram resgatadas de dentro da fábrica.

O ministro da Aviação Civil da Índia, Hardeep Singh Puri, visitou a fábrica e afirmou que "a causa imediata" da tragédia foi um curto-circuito, embora tenha garantido que ainda espera as investigações para saber o que provocou o início do fogo.

O porta-voz dos Bombeiros, por sua vez, preferiu, em entrevista à Agência Efe, não apresentar nenhuma provável causa, mas lembrou que muitas indústrias estão instaladas em edifícios antigos, sem elementos de segurança contra incêndios. EFE

Notícias