PUBLICIDADE
Topo

China fecha outras 2 cidades próximas a Wuhan para conter coronavírus

23/01/2020 20h20

Pequim, 23 jan (EFE).- A cidade chinesa de Huanggang, perto de Wuhan, epicentro do surto de pneumonia viral que deixou pelo menos 17 mortos, anunciou hoje que também suspenderá todos os transportes a partir da meia-noite desta sexta-feira (local, 13h de Brasília) e pediu para a população não deixar a cidade sem uma razão especial.

Outro município perto de Wuhan, Ezhou, também anunciou que a estação de trem local será fechada até nova ordem.

Huanggang tem mais de 6 milhões de habitantes, e Ezhou tem 1 milhão, elevando para cerca de 18 milhões o número de pessoas já nesta quarentena, iniciada na manhã de hoje em Wuhan, capital da província de Hubei, onde todos os tipos de transportes foram suspensos para tentar conter a propagação do coronavírus misterioso.

De acordo com uma declaração publicada no site do governo municipal de Huanggang, localizada a cerca de 60 quilômetros de Wuhan e separada de Ezhou apenas pelo rio Yangtze, todos os transportes públicos locais e de longa distância serão suspensos a partir da meia-noite. Além disso, a estação ferroviária será fechada temporariamente.

"Todos os cinemas, cibercafés e locais de encontro fechados, bem como pontos turísticos e de entretenimento na cidade de Huanggang serão fechados", informa o documento, que também anuncia o encerramento do mercado central, mas não estabelece calendário algum para a reabertura desses locais.

A declaração das autoridades de Ezhou é muito mais sucinta e indica apenas que, a partir das 11h20 (local, 0h20 de Brasília) de hoje, a estação de trem da cidade estará fechada até nova ordem.

Wuhan, com 11 milhões de habitantes, suspendeu a partir das 10h de hoje (23h de ontem em Brasília) transporte público urbano, metrô, trens e transporte de passageiros de longa distância. Também fechou o aeroporto e a estação de comboios indefinidamente para tentar conter a propagação do novo coronavírus.

Tal como em Huanggang, ninguém pode deixar Wuhan sem razões especiais. No caso de Ezhou, até agora, as autoridades não especificaram nada a respeito.

Mais cedo, o Ministério dos Transportes chinês "selou" ainda mais a capital de Hubei, anunciando a suspensão de todo o tráfego rodoviário e fluvial de passageiros. Além disso, todas as linhas de transporte rodoviário que passam por Wuhan devem circundá-la e não podem deixar ou recolher passageiros na cidade.

De acordo com uma contagem atualizada às 18h00 (local, 7h de Brasília) de hoje pela televisão estatal "CGTN", o número de casos confirmados em toda a China da nova doença é de 631, e apenas em cinco regiões do país nenhum foi registrado. O número de mortes permanece em 17 por enquanto, todas na província de Hubei.

O "Diário do Povo", órgão oficial do Partido Comunista Chinês, informou hoje que a partir da meia-noite não haverá taxas de cancelamento em todo o país para aqueles que desejam devolver seus bilhetes de trem.

Milhões de chineses estão aproveitando esta semana, pouco antes do Ano Novo lunar, que é celebrado no sábado, para retornar aos seus lugares de origem, no que é conhecido como a maior migração do planeta.

Notícias