PUBLICIDADE
Topo

OMS diz que países precisam estar preparados para chegada do coronavírus

25/02/2020 21h31

Genebra, 25 fev (EFE).- O coronavírus pode aparecer em qualquer lugar amanhã e todos os países devem inevitavelmente se preparar para ele, disse nesta terça-feira o chefe de uma missão científica enviada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) à China, Bruce Aylward.

O cientista liderou uma equipe conjunta de médicos e especialistas internacionais e chineses que investigaram durante duas semanas em três províncias diferentes - incluindo Wuhan, o epicentro da epidemia - todos os aspectos da nova doença.

Aylward reconheceu que a eficácia do equipamento que a China colocou em funcionamento para controlar o coronavírus o impressionou, apesar dos 30 anos em que trabalhou em contextos epidêmicos. Além disso, o pesquisador destacou que a resposta eficiente impediu o resto do mundo de viver uma situação muito pior.

"A China mudou o curso desta epidemia, que está recuando mais rápido do que se poderia esperar", disse ele, acrescentando que a resposta agressiva contra o vírus misterioso tem evitado centenas de milhares de casos.

O cientista afirmou que, por outro lado, o mundo não está pronto para lidar com a epidemia. No entanto, pela experiência da China, é possível serem listadas algumas medidas que os países precisam tomar para estarem o mais preparados possível.

"Pensem que o vírus aparecerá amanhã, estamos em um mundo incrivelmente interconectado. E se isso aparecer, temos que pensar em como podemos pará-lo. Se simplesmente aceitá-lo, então a batalha estará perdida antes de começar", alertou.

Embora ele preferisse não comentar as razões pelas quais a Covid-19 se espalhou em questão de dias no norte da Europa, onde há 300 casos, por não ter estado lá para acompanhar, Aylward disse que as medidas práticas para se preparar para um surto começam por ter camas hospitalares suficientes.

"Se você quer estar pronto, você sabe que vai precisar de camas, vai precisar isolar as pessoas, vai precisar colocar em quarentena os contatos próximos, porque sabemos que 10% deles terão a doença e eles não vão se dar conta no início", comentou.

"Temos a capacidade de alojar essas pessoas, temos os sistemas de ventilação para os casos graves, os laboratórios para processar os testes de diagnóstico, e como vamos transportar as pessoas, porque os afetados podem estar em áreas diferentes", acrescentou.

Aylward afirmou que o segundo grande desafio é levar a mensagem às pessoas de que você tem que estar preparado como se o vírus fosse chegar amanhã, que todos precisam lavar as mãos o tempo todo. Lembrou também sobre as máscaras, que podem não ter efeito em não infectados, mas são obrigatórias para aqueles que já foram contaminados.

A equipe que esteve na China descobriu que 80% dos casos de coronavírus são leves e apenas 6% se tornam críticos, enquanto o resto das pessoas fica gravemente doente, mas se recupera.

Outra descoberta na província de Guangzhou foi que dos 320 mil testes diagnósticos realizados, apenas 0,02% foram positivos e que as infecções ocorrem principalmente nas famílias e não em nível de comunidade.