PUBLICIDADE
Topo

Mãe que deu à luz no sábado é 1º caso de Covid-19 entre refugiados na Grécia

31/03/2020 21h00

Atenas, 31 mar (EFE).- A Grécia confirmou nesta terça-feira o primeiro caso do novo coronavírus entre a população de refugiados, depois que uma mulher com menos de 30 anos foi levada para um hospital de Atenas para dar à luz e apresentar sintomas.

"A mulher foi internada no hospital para dar à luz no sábado, dia 28. Ontem ela apresentou alguns sintomas, foi testada e deu positivo para coronavírus", explicou um porta-voz do Ministério de Migração à Agência Efe.

No momento, a grande questão para as autoridades é se a infecção ocorreu no campo em que a mulher estava abrigada, Ritsona, cerca de 75 quilômetros da capital grega, ou no hospital onde ela deu à luz.

"Tanto seu parceiro quanto um amigo da família foram testados e deram negativo. Portanto, não se sabe se a mulher foi infectada no campo ou no hospital", explicou.

O recém-nascido foi testado hoje, mas o resultado ainda não foi divulgado.

A Organização Nacional de Saúde Pública enviou uma equipe para investigar e tentar encontrar todos com quem a mulher tenha entrado em contato.

Desde que o primeiro caso da Covid-19 na Grécia foi declarado no final de fevereiro, organizações humanitárias e de direitos humanos, bem como autoridades europeias, solicitaram a evacuação dos campos de refugiados superlotados em todo o país, com especial destaque para os das ilhas do Egeu.

Segundo o porta-voz do Ministério das Migrações, cerca de 2,2 mil pessoas vivem no campo de Ritsona em contêineres organizados em três setores. Além disso, existem cerca de 140 pessoas trabalhando lá.

Na Grécia, que vive em confinamento total há mais de uma semana, atualmente existem 47 mortes por coronavírus. Segundo últimos dados oficiais, há 1.212 infectados em todo o país.

Notícias