PUBLICIDADE
Topo

Ministro russo alerta "Covid dissidentes" sobre 2ª onda de contágios

03/07/2020 13h20

Moscou, 3 jul (EFE).- O ministro da Saúde da Rússia, Mikhail Murashko, fez um alerta nesta sexta-feira contra a parte da população que não respeita as normas de proteção à infecção do novo coronavírus, a quem chamou de "Covid dissidentes".

De acordo com o integrante do governo, esse grupo pode ser responsável pela segunda onda de contágio no país, onde já morreram quase 10 mil pessoas desde o início da pandemia.

"Se nos comportarmos como Covid dissidentes, se não cumprirmos as restrições, podem aumentar os casos", afirmou Murashko, em uma entrevista concedida à agência de notícias local "Interfax".

O ministro da Saúde, no entanto, disse acreditar que uma segunda onda não teria o mesmo impacto da primeira, que colocou a Rússia como o terceiro país mais afetado na pandemia, atrás de Estados Unidos e Brasil, em número de infecções.

"Adquirimos certa imunidade, desenvolvemos um sistema de tratamento e de profilaxia", destacou.

Além disso, Murashko avaliou que, se o governo não tivesse adotado medidas de prevenção, o número de mortos na Rússia "possivelmente", teria chegado a 1 milhão.

Além disso, o ministro admitiu que a normalidade no território, provavelmente, não será retomada antes de fevereiro do ano que vem. Para isso, no entanto, cobrou da população o uso de máscaras quando não for possível seguir o distanciamento social.