PUBLICIDADE
Topo

Uruguai endurece medidas nas fronteiras para evitar contágios de coronavírus

08/07/2020 23h05

Montevidéu, 8 jul (EFE).- O Uruguai endurecerá as medidas nas fronteiras para minimizar as chances de contágio do coronavírus SARS-CoV-2, segundo o decreto anunciado nesta quarta-feira pelo ministro da Defesa, Javier García, que entrará em vigor nas próximas horas.

Em entrevista coletiva realizada em Montevidéu com o ministro do Interior, Jorge Larrañaga, García explicou que quem quiser entrar no país deverá apresentar um teste Covid-19 negativo nas 72 horas anteriores à chegada, independentemente de ser cidadão uruguaio ou estrangeiro e de como será o acesso, por terra, ar ou água.

Até agora, as condições mais restritivas de acesso eram no aeroporto, como aconteceu no domingo com os passageiros do primeiro voo da Iberia após a declaração de emergência sanitária no dia 13 de março.

Todos tiveram que ser testados no Aeroporto Internacional de Carrasco, exceto aqueles que, como o ex-embaixador do Uruguai na Espanha e o novo ministro das Relações Exteriores, Francisco Bustillo, foram testados em Madri.

O acesso por fronteira seca (norte, fronteira com o Brasil) é o ponto fraco no controle da pandemia por parte do Uruguai, que está entre os países com melhor desempenho nesta crise, com menos de 1.000 casos positivos (cerca de 70 ativos) e 29 mortes.

"A mudança mais significativa que anunciamos hoje" é a apresentação deste "filtro nas 72 horas anteriores à entrada no país" por fronteira terrestre, explicou García, que acrescentou que este procedimento será acompanhado "das inspeções estritamente necessárias para verificar que todos, especialmente os estrangeiros que entram, possam estar no país".

Após a entrada, será necessário cumprir uma quarentena e um segundo teste, sete dias depois, que deverá ser negativo para a suspensão do confinamento. Larrañaga disse que os estrangeiros devem ter "seu registro de aceitação de entrada" em ordem.

"Vamos pedir o cumprimento. Caso contrário, a ideia é que eles não possam continuar no país. É essencial, é importante, temos que ser firmes na guarda de um bem maior, que é a situação da saúde no país", comentou.

Quanto às cidades binacionais, como Rivera, onde apenas uma rua separa Uruguai e Brasil, García disse que "é impossível" exigir testes constantes nesses locais, mas que "é possível" fazê-lo "quando você sai", e que nessas situações "os mecanismos de controle funcionarão".

Segundo o ministro da Defesa, se essas pessoas viajarem para o resto do país, deverão "ter algum tipo de autorização", que será concedida se antes apresentarem um teste negativo.

Nas últimas semanas, quando o Uruguai estava perto de chegar a zero caso, vários surtos nos departamentos (províncias) de Rivera (norte) e Treinta y Tres (leste) dispararam os alarmes das autoridades.