PUBLICIDADE
Topo

Com 2 mil novos casos, Chile diz estar pronto para novos surtos de Covid-19

20/07/2020 22h24

Santiago (Chile), 20 jul (EFE).- O governo do Chile reportou nesta segunda-feira 2.099 novos casos de coronavírus nas últimas 24 horas, com um total de 333.029 infecções desde o início da pandemia, e garantiu que o país está preparado para a chamada segunda onda de contágios.

"Temos que continuar trabalhando muito, com muito ímpeto, porque estamos conscientes de que pode haver surtos, e estamos preparados para eles", declarou o ministro da Saúde chileno, Enrique Paris.

As autoridades sanitárias divulgaram mais detalhes sobre o plano de saída gradual da quarentena anunciado neste domingo pelo presidente Sebastián Piñera, chamado Passo a Passo, que é dividido em cinco etapas: quarentena, transição, preparação, abertura inicial e abertura avançada.

Questionado sobre as possibilidades de retomar a atividade na região metropolitana de Santiago, onde vivem mais de 8 milhões de pessoas, o subsecretário de Redes de Assistência, Arturo Zúñiga, detalhou que provavelmente o projeto não será dividido em comunas, mas em blocos.

Dessa forma, as localidades avançarão em cada etapa da estratégia de forma conglomerada e de acordo com uma série de indicadores, como a ocupação hospitalar e a evolução de novas infecções. Caso haja um agravamento, o governo decidirá voltar atrás.

POSITIVOS EM TESTES PCR CAEM.

O Ministro da Saúde enalteceu o fato de que a taxa de positividade dos testes PCR em nível nacional, que no último dia era de 16.343, caiu para 13%.

"Obviamente este é um número muito positivo para o país. Estes pequenos avanços, estas mudanças positivas, nos permitem preparar as pessoas e as cidades para pensar em voltar à atividade que todos nós esperamos alcançar um dia", disse Paris.

O número de mortes confirmadas pela Covid-19 com um teste PCR aumentou para 8.633 após outras 130 terem sido confirmadas neste domingo. O Departamento de Estatísticas e Informações de Saúde (Deis) publicou ontem que existem outras 3.932 suspeitas de óbitos por coronavírus que não estão incluídas no relatório diário.

PREOCUPAÇÃO COM O NORTE DO CHILE.

A região metropolitana de Santiago está a caminho de completar dez semanas sob quarentena obrigatória. A área foi o principal foco de infecção no país desde a chegada do vírus SARS-CoV-2 até o final de junho.

Entretanto, as regiões de Arica, Antofagasta, Atacama e Tarapacá, no norte chileno, juntamente com O'Higgins na região central, são agora as que despertam maior preocupação nas autoridades sanitárias.

O Chile é o oitavo país com mais casos de coronavírus registrados, à frente de Reino Unido, Irã e Espanha, por exemplo, segundo contagem independente da Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos.

As regiões de Aysén e Los Ríos, no sul, são até agora as únicas que começaram a retornar à normalidade, com cinemas, teatros, restaurantes e cafés liberados para operar a 25% de sua capacidade.