PUBLICIDADE
Topo

Ex-presidente da Colômbia diz que Suprema Corte ordenou que ele seja detido

04/08/2020 19h48

Bogotá, 4 ago (EFE).- O ex-presidente da Colômbia e senador Álvaro Uribe afirmou que a Suprema Corte de Justiça do país ordenou nesta terça-feira que ele seja detido dentro de um processo no qual é acusado de fraude processual e pagamento de suborno a testemunhas.

"A privação de minha liberdade me causa profunda tristeza para minha esposa, para minha família e para os colombianos que ainda acreditam que eu fiz algo de bom pelo país", escreveu Uribe no Twitter sobre a decisão da Corte, que ainda não foi oficializada.

Se a decisão for confirmada, Uribe se tornará o primeiro ex-presidente colombiano a receber ordem de prisão. Ele responde ao processo penal na Suprema Corte por ter foro privilegiado como senador.

O caso referente ao político que governou a Colômbia entre 2002 e 2010 começou em 2012, quando ele processou, por suposta manipulação de depoimentos de testemunhas, o senador Iván Cepeda, do partido de esquerda Polo Democrático Alternativo (PDA).

Na época, Cepeda estava preparando uma denúncia no Congresso contra Uribe por supostas ligações com paramilitares.

O processo de Uribe contra Cepeda sofreu uma reviravolta quando o juiz José Luis Barceló, da Suprema Corte e responsável por analisar o caso, não só o encerrou como decidiu abrir uma investigação contra o ex-presidente também por suposta manipulação de depoimentos.

O partido Centro Democrático, fundado por Uribe e que está no poder por meio do atual presidente, Iván Duque, manifestou ontem "séria preocupação" com as versões que circulavam sobre uma possível decisão contra o ex-mandatário.