PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Em 1º discurso, Kamala critica Trump, recorda atentado e vê pior crise desde 1929

12.ago.2020 - Kamala Harris, vice na chapa de Joe Biden, discursa em Wilmington - REUTERS/Carlos Barria
12.ago.2020 - Kamala Harris, vice na chapa de Joe Biden, discursa em Wilmington Imagem: REUTERS/Carlos Barria

De Nova York

13/08/2020 04h31

No primeiro ato oficial como candidata a vice-presidente dos Estados Unidos pelo Partido Democrata, a senadora Kamala Harris criticou nesta quarta-feira a gestão do atual presidente americano, Donald Trump, durante a pandemia de covid-19, afirmou que o país vive um momento decisivo e ressaltou a importância do voto.

"Tudo o que nos interessa, a nossa economia, a nossa saúde, os nossos filhos, o tipo de país em que vivemos, está tudo em jogo. Estamos nos recuperando da pior crise de saúde pública em um século. A má gestão da pandemia por parte do presidente nos inseriu na pior crise econômica desde a Grande Depressão", disse Harris, ao classificar o ano de 2020 como "um momento de consequências reais".

O anúncio de Harris foi realizado em Wilmington, no estado de Delaware, onde reside o virtual candidato democrata à presidência, Joe Biden. Ao lado do companheiro de chapa, a senadora pela Califórnia, de 55 anos, declarou que as eleições de novembro necessitam provocar uma mudança.

Kamala Harris mencionou o ataque ocorrido em Charlottesville no dia 12 de agosto de 2017, há exatos três anos, quando diversos manifestantes que protestavam contra um comício de supremacia branca foram atropelados.

"Precisamos de uma gestão que prove que os últimos anos não representam quem somos ou quem queremos ser. Quando viu o que aconteceu em Charlottesville há três anos, Joe soube que estávamos em uma batalha pela alma da nossa nação. E, juntamente com a sua ajuda, essa é uma batalha que vamos vencer. No início deste ano, eu disse que faria tudo o que Joe me pedisse. E agora peço a vocês que façam o mesmo", comentou.

Com elogios a Joe Biden, Harris declarou que se orgulha de concorrer ao lado do ex-vice-presidente americano.

"Depois da primária mais competitiva da história, o país recebeu uma mensagem retumbante de que Joe foi a pessoa que nos conduziu para a frente e, Joe, estou tão orgulhosa de estar ao seu lado. E faço isso levando em consideração todas as mulheres heroicas e ambiciosas que me precederam e cujo sacrifício, determinação e resiliência tornam a minha presença aqui hoje ainda possível", analisou.

Biden, provável rival de Donald Trump, disse esperar uma "forte reação" e apoio com a escolha de Kamala Harris, a primeira mulher negra a ser candidata a vice-presidente por um dos dois principais partidos americanos.

"Em todo o país, meninas, principalmente negras, que muitas vezes são ignoradas e subvalorizadas, talvez se vejam pela primeira vez de uma maneira diferente: sabem que têm o necessário para serem presidentes e vice-presidentes", expressou Biden.

O candidato democrata recordou que a decisão sobre quem seria sua companheira de chapa foi influenciada pela opinião que seu filho Beau Biden, que morreu de câncer em 2015, tinha sobre Harris.

Internacional