PUBLICIDADE
Topo

Quatro estudantes são acusados por envolvimento com assassinato de professor

26/11/2020 13h29

Paris, 26 nov (EFE).- Quatro estudantes que foram presos no início desta semana foram colocados na condição de acusados na investigação sobre o assassinato do professor Samuel Paty, que ocorreu nos arredores de Paris, na França, segundo confirmaram nesta quinta-feira fontes ligadas ao processo.

A vítima foi decapitada dias depois de mostrar aos alunos charges com o profeta Maomé, durante uma aula sobre liberdade de expressão.

Ao todo, o número de acusados formais no caso chegou a 14. Três deles, segundo informações extra-oficiais, são apontados como cúmplice de assassinato relacionado com uma organização terrorista, enquanto um quarto pelo crime de denunciação caluniosa.

Os três primeiros citados são estudantes que teriam mostrado, na porta do colégio de Conflans-Sainte-Honorine, quem era Paty para Abdoullakh Anzorov, apontado como o autor material do assassinato.

A quarta é uma menor de idade, filha de Brahim Chnina, pai de Abdelhakim Sefrioui, o aluno que iniciou uma campanha contra o professor e que também já foi acusado formalmente e está detido.

Os quatro adolescentes colocados na condição de acusados foram presos no início da semana. Todos foram interrogados e foram libertados sob a observação da justiça.

Os dois primeiros foram dois estudantes acusados de ter recebido entre 300 euros e 350 euros (R$ 1,9 mil e R$ 2,2 mil), por indicar para Anzorov, um refugiado checheno quem era Paty, professor de História, de 47 anos, foi decapitado no dia 16 de outubro.

O acusado pela autoria do crime, de apenas 18 anos, foi abatido pela polícia logo depois do crime.