PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
1 mês

Chile registra mais de 5,3 mil casos de Covid-19 nas últimas 24 horas

06/03/2021 00h43

Santiago, 5 mar (EFE).- O Ministério da Saúde do Chile registrou, nesta sexta-feira, 5.325 novos casos de Covid-19, o maior número desde a fase mais difícil da pandemia, em junho de 2020, quando as infecções chegaram a quase 7 mil.

Diante desse aumento significativo de casos no país, que após o retorno às atividades no final do verão apresentava em média 4 mil novas infecções por dia, o ministro da Saúde, Enrique Paris, insistiu no apelo para manter medidas de proteção e respeitar as quarentenas.

"Enquanto o processo de vacinação avança normalmente e de acordo com o planejado, o cidadão não deve esquecer as medidas de proteção: usar sempre máscara, lavar as mãos com água e sabão, manter distância física, evitar aglomerações, pois são por enquanto as mais eficazes medidas", disse Paris, em um comunicado do Ministério.

Ele lembrou que amanhã, 12 setores do país voltarão para a fase de quarentena devido ao aumento dos casos registrados.

Somando o relatório de hoje, o número total de casos no Chile chegou a 845.450, dos quais 27.317 estão na fase ativa e 796.791 são casos recuperados.

Em relação aos óbitos, nas últimas 24 horas foram confirmadas 90 mortes por Covid-19, elevando o número total de 20.928 vítimas em todo o país.

As autoridades sanitárias informaram ainda que entre ontem e hoje a taxa de positividade - número de infecções detectadas a cada 100 testes de PCR realizados - foi de 8,61%, após a realização de 60.720 testes no último dia.

O Chile, que iniciou uma campanha em massa de vacinação há um mês após a chegada de um grande carregamento de doses da chinesa CoronaVac, lidera o processo de inoculação na América Latina com quase 3,9 milhões de pessoas imunizadas até o momento.

O plano do governo chileno é imunizar toda a população que faz parte do grupo de risco (cerca de 5 milhões de pessoas) no primeiro trimestre de 2021 e o restante da população-alvo (15 milhões) nos primeiros seis meses do ano.