PUBLICIDADE
Topo

Argentina tem novo recorde de infecções por Covid-19 com 20.870 casos em 24h

06/04/2021 22h43

Buenos Aires, 6 abr (EFE).- A Argentina registrou, nesta terça-feira, 20.870 casos de Covid-19, o maior número de infecções confirmadas em 24 horas desde o início da pandemia, de acordo com fontes oficiais.

O recorde anterior foi registrado em 21 de outubro do ano passado, quando ocorreram 18.326 positivos, e esse novo pico ocorre em um contexto de aceleração dos casos positivos na última semana, enquanto as autoridades mantêm diversas medidas para determinar se devem ser tomadas mais medidas diante da chamada segunda onda da pandemia no país.

De acordo com o relatório do Ministério da Saúde, o número de positivos subiu para 2.428.029. Já nas últimas 24 horas foram registradas 163 mortes, chegando a 56.634 vítimas até o momento.

Houve 7.203 casos a mais que no dia anterior, quando as autoridades confirmaram 13.667 infecções.

As duas jurisdições com mais casos foram a província de Buenos Aires, com 10.402 positivos, e a cidade de Buenos Aires, com 2.281 infecções, em ambos os casos com os números mais altos desde o início da pandemia.

Atrás deles, Córdoba (centro) apresentou 1.843 novas infecções e Santa Fé (centro) 1.296.

As autoridades argentinas aumentaram as restrições e recomendações sanitárias devido ao aumento das infecções durante vários dias, embora neste feriado da Semana Santa, a atividade turística tenha sido permitida.

Na Argentina, existem 2.153.509 pacientes que já receberam alta, enquanto 3.652 pessoas com diagnóstico confirmado de Covid-19 permanecem internadas em Unidades de Terapia Intensiva.

O percentual de ocupação de leitos de UTIs para todos os tipos de patologias é de 56,1% em todo o país, mas 62,0% se considerarmos apenas Buenos Aires e sua populosa periferia.

Até o momento, na Argentina, foram realizados 9,11 milhões de exames para detectar o vírus, dos quais 46.037 foram realizados no último domingo.

A Argentina teve um pico de infecções diárias no dia 21 de outubro, com 18.326 positivos, e no início de janeiro houve uma recuperação que parou até o início de março, quando teve início a atual curva ascendente.

VACINAÇÃO ATRASADA

Diante da chegada da segunda onda, o governo argentino decidiu priorizar a vacinação da primeira dose e adiar a segunda dose por três meses em todos os tipos de vacinas contra o coronavírus que possui até o momento.

O país, com uma população de cerca de 45 milhões de habitantes, iniciou sua campanha de vacinação contra Covid-19 no final de dezembro do ano passado e já recebeu 7.266.500 doses de vacinas de vários fornecedores.

Mas é uma quantidade bem inferior ao que o país esperava ter para nesta época do ano e o próprio governo admitiu atrasos no plano de vacinação, colocando a culpa nos atrasos por parte dos prestadores.

De acordo com dados oficiais divulgados hoje, 4.404.175 doses foram aplicadas.

Um total de 3.712.009 pessoas receberam a primeira dose da vacina, enquanto 692.166 pessoas já foram inoculadas com a segunda dose.