PUBLICIDADE
Topo

Chile recebe dois novos lotes da Pfizer e chega a 14 milhões de vacinas

08/04/2021 19h15

Santiago, 8 abr (EFE).- O Chile recebeu, nesta quinta-feira, duas novas remessas de vacinas contra Covid-19 da Pfizer/BioNTech, totalizando 234 mil doses no total, uma remessa que eleva para quase 14 milhões o número recebido pelo país desde o início do processo de imunização, em dezembro de 2020.

Das 13,9 milhões de vacinas recebidas, 1,8 milhão são do laboratório alemão-americano Pfizer, enquanto o grosso - 11,9 milhões -, foi fornecido pela chinesa Sinovac.

O país, que já comprometeu mais de 35 milhões de doses de diversos laboratórios, autorizou até o momento a administração de quatro vacinas: Pfizer/BioNTech, Sinovac, AstraZeneca (Reino Unido) e recentemente a do laboratório CanSino (China).

Deste último, as autoridades pretendem receber 1,8 milhão a partir do mês de maio.

O Chile é um dos países com a maior porcentagem de população vacinada do mundo e desde fevereiro, mais de 7,1 milhões de pessoas já receberam pelo menos uma dose e cerca de 4,2 milhões as duas.

A negociação antecipada e diversificada, assim como a extensa rede de cuidados primários, são dois dos principais fatores que, segundo especialistas, têm agilizado a imunização.

Apesar do sucesso da vacinação, o país vive os piores momentos da pandemia, que se agravou após as férias de verão, e obrigou mais de 83% da população a ficar em quarentena, fechar fronteiras e empresas não essenciais e adiar eleições de 10 e 11 deste mês para 15 e 16 de maio.

O governo acredita que os primeiros efeitos da vacinação serão percebidos em meados de abril e confia que para as eventuais eleições de maio, serão 9,3 milhões de pessoas imunizadas com pelo menos uma dose.

Com mais de 1 milhão de infectados e 23.796 mortos em um ano, o país está em estado de emergência por catástrofe, com toque de recolher das 21h às 5h (hora local). EFE