PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
15 dias

Uruguai se torna país da América com mais mortes por Covid por habitantes

O governo de Luis Lacalle Pou continua apelando para a "liberdade responsável" e não decretou confinamento obrigatório - MARIANA GREIF/ REUTERS
O governo de Luis Lacalle Pou continua apelando para a "liberdade responsável" e não decretou confinamento obrigatório Imagem: MARIANA GREIF/ REUTERS

13/04/2021 20h31

Montevidéu, 13 abr (EFE).- O Uruguai se tornou país de toda a América com mais mortes por Covid-19 por milhão de habitantes, devido ao aumento progressivo dos óbitos nas últimas semanas, com 71 registradas nesta segunda-feira e 1.533 acumuladas desde a declaração de emergência sanitária, em 13 de março de 2020.

Segundo dados do site Our World in Data, da Universidade de Oxford, o registro de 20,44 mortes causadas pelo coronavírus por milhão de habitantes coloca o Uruguai em quinto lugar no mundo, atrás de Bósnia-Herzegovina (57,61), Hungria (30,12), San Marino (29,46) e Bulgária (28,93).

Os números registrados no Uruguai nos últimos dias levaram a superar países da região como o Peru (9,92), Paraguai (8,69), Chile (7,17) e Brasil (6,96), e deixar muito atrás dos Estados Unidos, com 1,41 por milhão de habitantes.

O Uruguai acumulou 560 óbitos nos primeiros 12 dias de abril, o que é mais do triplo do número de mortes registradas até 31 de dezembro de 2020, quando tinha somado 181.

O pior dia foi precisamente esta segunda-feira, quando o Sistema Nacional de Emergência (Sinae) relatou que 71 pessoas foram vítimas do vírus SARS-CoV-2. Anteriormente, na última sexta-feira, havia relatado 88, o que correspondia a um acumulado diário de 52 e 36 casos anteriormente não relatados.

Apesar da preocupação do setor de saúde e dos especialistas científicos com o aumento do número de infecções e mortes, assim como a saturação das unidades de terapia intensiva, o governo de Luis Lacalle Pou continua apelando para a "liberdade responsável" e não decretou confinamento obrigatório.

Atualmente, as aulas, as competições esportivas amadoras e as apresentações públicas estão suspensas. Os clubes e academias estão fechados, assim como os chamados 'free shops' na fronteira com o Brasil e os cassinos sob a jurisdição do Estado.

Além disso, o horário de abertura de bares e restaurantes é restrito até a meia-noite e a entrada no país só é permitida, além de uruguaios e residentes, a estrangeiros que possam provar motivos diplomáticos, econômicos, profissionais ou pessoais excepcionais e com a autorização expressa do Poder Executivo.

O governo considera as medidas tomadas até agora suficientes e está confiante de que o ritmo da vacinação servirá para reduzir o número de casos diários e atingir a chamada "imunidade do rebanho".

Às 16:07 (local e de Brasília) desta terça-feira, 1.116.811 pessoas (31,85% da população) receberam a primeira dose da vacina contra a Covid-19, sendo que 211.142 foram inoculadas duas vezes e completaram o processo de imunização.

O Uruguai tem 147.173 casos de coronavírus notificados até agora, dos quais 32.515 estão ativos, com 494 pessoas internadas em unidades de terapia intensiva - a Sociedade Uruguaia de Medicina Intensiva, no entanto, diz que o número é de 504.