PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
15 dias

Após contato com infectados, presidente do Paraguai testa negativo

19/04/2021 21h09

Assunção, 19 abr (EFE).- O presidente do Paraguai, Mario Abdo Benítez, testou negativo para covid-19 em exame realizado após ter feito contato na semana passada com o ministro da Saúde, Julio Borba, e com o de Obras Públicas e Comunicações, Arnolso Wiens, ambos contagiados.

O Ministério da Saúde Público informou, nesta segunda-feira, o resultado do presidente através das redes sociais, com uma foto do diagnóstico do laboratório.

"Informamos que o presidente da República teve um resultado negativo no teste do coronavírus Sars-CoV-2, pelo método de PCR. O mesmo se encontra tomando os cuidados necessários", publicou a pasta.

O mandatário suspendeu sua agenda na quinta-feira da semana passada, quando foi divulgado o positivo de Borba, e desde então não havia notícias sobre seu estado de saúde.

Ao longo da semana passada, Abdo Benítez esteve em contato com o ministro da Saúde na terça-feira, na inauguração de um centro de saúde em Guarambaré, a 30 quilômetros de Assunção.

Na quarta-feira, o mandatário esteve com Wiens durante uma reunião no Palácio de Governo, após a qual foi comunicado o adiamento de uma licitação de uma ponte com o Brasil para redirecionar recursos ao sistema de saúde.

No sábado passado, Wiens publicou nas redes sociais que também testou positivo para a covid-19, mas que estava bem de saúde.

Apesar do aumento de casos pelo país, Abdo Benítez manteve na agenda das últimas semanas atividades fora de Assunção, marcando presença em inaugurações de hospitais e estradas onde ocorrem aglomerações e o próprio presidente abraça e beija pessoas, contrariando as recomendações sanitárias.

O Paraguai, país com 7 milhões de habitantes, registrou o primeiro caso de covid-19 em março de 2020. Desde então, o país contabiliza 250.165 contagios e 5.313 mortes por complicações da doença.

Uma forte onda de contágios é observada no país desde o final de fevereiro, fenômeno que as autoridades de saúde paraguaias relacionam com a entrada da variante brasileira do coronavírus.