PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
1 mês

Crise na Índia pode reduzir oferta de vacinas na América Latina, avisa OPAS

Centro de tratamento para a covid-19 de Gurudwara (Templo Sikh), em Nova Delhi, na Índia - Adnan Abidi/Reuters
Centro de tratamento para a covid-19 de Gurudwara (Templo Sikh), em Nova Delhi, na Índia Imagem: Adnan Abidi/Reuters

05/05/2021 21h17

O recorde de casos de covid-19 e mortes em decorrência da doença na Índia pode reduzir a oferta de vacinas na América Latina e no Caribe durante os meses de maio e junho, avisou nesta quarta-feira o subdiretor da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), o médico brasileiro Jarbas Barbosa.

Os mais prejudicados poderão ser Haiti, Nicarágua e Bolívia, que tinham previsto receber no final de maio doses do Serum Institute da Índia, o maior fabricante de vacinas do mundo.

Além disso, segundo Barbosa, se a Índia continuar obstaculizando a exportação de vacinas, pode haver um impacto nas campanhas de imunização de outros países da Américan Latina em maio e junho.

O Serum Institute tem um contrato para fabricar e entregar milhões de vacinas ao consórcio Covax, da Organização Mundial da Saúde (OMS), criado para garantir o acesso dos países mais desfavorecidos à vacina.

Mas o aumento de contágios na Índia fez com que, no mês passado, o governo indiano restringisse as exportações para atender a própria demanda interna.

Diante desta situação, Barbosa explicou que há uma negociação de "alto nível" com o governo indiano para chegar a um acordo que permita que parte da produção do Serum Institute seja enviada ao exterior mediante o Covax, enquanto que a outra parte da produção seria destinada a necessidades internas.

Mesmo se este acordo for selado, a oferta de vacinas disponíveis na América Latina pode diminuir temporariamente, comentou o dirigente.

Até agora, a situação na Índia já provocou um déficit de 90 milhões de doses ao Covax só durante o mês de abril, detalhou na sexta-feira passada a aliança de vacinas GAVI, um dos grupos que apoiam o mecanismo.

A aliança avisou que se os atrasos continuarem em maio, o consórcio enfrentará "desafios significativos a curto prazo".

Ao todo, já foram distribuídas 49 milhões de doses em todo o mundo através do Covax, das quais 29 milhões procediam do Serum Institute.

Segundo dados divulgados pela OPAS nesta quarta-feira, mais de 11,4 milhões de pessoas já foram vacinadas em 31 países da América Latina e do Caribe.