PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
1 mês

Kamala Harris visitará o México em junho para abordar migração regional

Vice-presidente dos Estados Unidos, Kamala Harris, visitará o México no próximo dia 8 de junho no papel de enviada de Washington para abordar a migração regional - Getty Images
Vice-presidente dos Estados Unidos, Kamala Harris, visitará o México no próximo dia 8 de junho no papel de enviada de Washington para abordar a migração regional Imagem: Getty Images

05/05/2021 19h42Atualizada em 05/05/2021 20h34

A vice-presidente dos Estados Unidos, Kamala Harris, visitará o México no próximo dia 8 de junho no papel de enviada de Washington para abordar a migração regional, anunciou nesta quarta-feira o presidente mexicano, Andrés Manuel López Obrador.

"Sim, ela estará no México, penso que em 8 de junho, após as eleições" de meio de mandato 6 de junho, disse López Obrador durante sua coletiva de imprensa matinal no Palácio Nacional, sem dar mais detalhes.

A visita de Harris acontecerá após uma primeira reunião virtual com López Obrador, que disse que nesta ocasião irão discutir "migração e propostas para abordar o fenômeno migratório".

O presidente mexicano ressaltará para a vice-presidente a importância de que os EUA apoiem a expansão para a América Central de dois dos seus programas sociais mais emblemáticos: Semeando Vida, focado em reflorestação para agricultores, e Jovens Construindo o Futuro, um plano de ajuda para jovens aprendizes.

López Obrador, que já propôs o Semeando Vida ao presidente Joe Biden na Cúpula de Líderes sobre o Clima de 22 de abril, também sugere que os beneficiários tenham acesso, após três anos, a vistos temporários para trabalhar nos EUA com a opção de residência ou cidadania.

"O Canadá já tem um bom programa de vistos temporários porque o Canadá, e especialmente os Estados Unidos, precisam da força de trabalho do México e da América Central. Então, é uma questão de se organizar e dar esta opção, esta alternativa", argumentou.

O presidente mexicano se posicionou assim um dia após a reunião bilateral que teve com seu homólogo da Guatemala, Alejandro Giammattei, com quem assinou um acordo de intenções para estender seus programas sociais àquele país.

"Conversei bastante com o presidente da Guatemala, ele também expressou seu apoio para que os EUA invistam na América Central, para ajudar os países da América Central que ficaram muito mal, devastados, pelas inundações. Há muita necessidade, muita pobreza", destacou López Obrador.

O presidente mexicano frisou ainda que seus projetos ajudarão a aliviar a crescente onda de migração da região, refletida em números recordes do Serviço de Alfândega e Proteção de Fronteiras dos EUA (CBP), que registrou a detenção de 172.000 imigrantes sem documentos em março.

O programa Semeando Vida emprega mais de 400.000 agricultores no México, com um investimento de US$ 1,4 bilhão para plantar 1 bilhão de árvores frutíferas e madeireiras em 1 milhão de hectares.

Além disso, a iniciativa já beneficia 1.070 produtores em El Salvador e 431 em Honduras.

Por sua parte, o Jovens Construindo o Futuro apoia mais de 330.000 aprendizes com cerca de US$215 mensais para a realização de estágios no México, além de apoiar 5.804 jovens em El Salvador e 5.029 em Honduras.

"Precisamos compreender que a migração não é ruim e que as nações mais prósperas do mundo foram feitas com migrantes. E o melhor exemplo são os Estados Unidos, uma grande nação que foi construída com migrantes. Então isto não vai ser resolvido com medidas coercivas", opinou o presidente mexicano.

Internacional