PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
1 mês

R.Unido priorizará outras vacinas sobre AstraZeneca para menores de 40 anos

08/05/2021 00h22

Londres, 7 mai (EFE).- O Reino Unido irá oferecer vacinas alternativas à AstraZeneca a pessoas com menos de 40 anos, depois de relacionar esse imunizante ao surgimento de tromboses em adultos jovens, anunciou nesta sexta-feira o Comitê Conjunto de Vacinação e Imunização do Reino Unido (JCVI, na sigla em inglês).

Em uma coletiva de imprensa, Wei Shen Lim, presidente do subcomitê de Covid-19 do JCVI, disse que os cidadãos entre 18 e 39 anos sem patologias anteriores que ainda não foram vacinados podem optar pela Pfizer e Moderna, desde que isso "não atrase" o plano de imunização.

No último dia 7 de abril, esse comitê recomendou a oferta de imunizantes alternativos à vacina produzida pela empresa farmacêutica AstraZeneca e pela Universidade de Oxford a pessoas entre os 18 e 30 anos de idade, e hoje aumentou ainda mais a faixa etária.

Segundo Shen Lim, a recomendação foi feita porque a Pfizer e Moderna estão agora mais amplamente disponíveis, uma vez que a maioria da população adulta do Reino Unido já foi imunizada.

A agência reguladora de produtos médicos e sanitários do Reino Unido (MHRA) indicou que, após a administração de 28,5 milhões de doses de AstraZeneca, foram detectados apenas 242 casos de trombose com baixo número de plaquetas, mas o risco de desenvolvê-las é considerado maior na população mais jovem.

O risco de formação destes coágulos atípicos é estimado em 1 em cada 100.000 pessoas para pessoas com mais de 40 anos, mas é de 1 em cada 60.000 para pessoas com mais de 30 anos, enquanto que, paralelamente, o risco de ficar gravemente doente da Covid-19 diminui entre os jovens.

A diretora-executiva da MHRA, June Raine, salientou que os benefícios da vacinação com AstraZeneca superam de longe os riscos "para a grande maioria da população".

"O equilíbrio entre benefícios e riscos é muito favorável para os mais velhos, mas inferior para os mais jovens", destacou.

Quando questionado se a associação da vacina à trombose poderia levar as pessoas a rejeitá-la, o conselheiro médico adjunto do governo para a Inglaterra, Jonathan Van-Tam, disse que as pesquisas mostraram uma "boa aceitação" dentro do programa de vacinação.

Nesse sentido, Van-Tam reiterou que o governo britânico mantém seu objetivo de oferecer a primeira dose de qualquer vacina a todos os adultos até julho.

Até agora, 34,9 milhões de britânicos já receberam a primeira dose, enquanto 16,2 milhões também receberam a segunda dose.

O Reino Unido, que se encontra em plena desaceleração do confinamento imposto em janeiro, registrou entre quarta e quinta-feira 13 mortes por Covid - de um total de 127.582 desde o início da pandemia -, 48% menos do que há uma semana, e 2.613 infecções, um decréscimo de 9,5%.