PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
15 dias

Espanha adverte ao Marrocos que garantirá sua integridade territorial

18/05/2021 17h45

Madri, 18 mai (EFE).- O presidente do governo da Espanha, Pedro Sánchez, advertiu o Marrocos nesta terça-feira que irá garantir sua integridade territorial "com todos os meios necessários", após a chegada maciça de imigrantes marroquinos à cidade espanhola de Ceuta, no norte da África, nas últimas horas.

Em um breve discurso, Sánchez avaliou o que aconteceu em Ceuta, onde desde ontem chegaram cerca de 6.000 imigrantes marroquinos, muitos dos quais já foram enviados de volta ao seu país.

"A tranquilidade dos cidadãos de Ceuta e Melilla será garantida com todos os meios necessários e diante de qualquer eventualidade ou circunstância", disse Sánchez, que anunciou que nas próximas horas viajará a essas duas cidades espanholas localizadas na África.

"Como presidente do governo, sempre acreditei firmemente que o Marrocos é um país parceiro, um país amigo de Espanha, e assim deve permanecer. Cuidar das nossas relações sempre fez parte da política externa espanhola, também do meu governo. E é assim que deve continuar sendo. Meu desejo é continuar reforçando ainda mais esta relação de amizade", destacou o chefe do Executivo espanhol.

"Os laços humanos, históricos, culturais, econômicos e estratégicos apelam a ambos os países para que cooperem e trabalhem em conjunto para progredir em conjunto. Esta cooperação deve basear-se no respeito pelas fronteiras mútuas, que é a base da vizinhança dos países amigos", acrescentou Sánchez.

"A integridade territorial de Espanha, as suas fronteiras e a segurança e paz dos nossos compatriotas serão sempre defendidas pelo governo espanhol, face a qualquer desafio, com todos os meios e em conjunto com os nossos parceiros europeus", completou.

Um pouco antes, em uma coletiva de imprensa, o ministro do Interior espanhol, Fernando Grande-Marlaska, anunciou que 2.700 dos 6.000 imigrantes que entraram ilegalmente em Ceuta nas últimas horas já tinham sido devolvidos ao Marrocos, entre os quais não havia nenhum menor de idade.

Grande-Marlaska declarou que o governo da Espanha está disponibilizando desde o primeiro momento todos os meios necessários para proteger os cidadãos de Ceuta e devolver "através dos canais estabelecidos" àqueles que estão entrando ilegalmente na cidade.

Ao longo de 2021 foram registradas várias entradas a nado na cidade desde o Marrocos, a mais recente em 27 de abril, embora durante 15 anos não tivesse havido uma chegada maciça como a de ontem em um único dia, e na ausência de vigilância pelas autoridades marroquinas, segundo constatou a Efe.

Por sua parte, a ministra das Relações Exteriores espanhola, Arancha González Laya, comentou ainda que não lhe constava que o que aconteceu poderia ser uma medida de pressão por parte do Marrocos devido à presença do líder da Frente Polisario, Brahim Ghali, em um hospital espanhol.