PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
1 mês

Presidente do Peru será proclamado apenas após resolução de impugnações

16/06/2021 20h40

Lima, 16 jun (EFE).- O Júri Nacional de Eleições (JNE) do Peru ratificou nesta quarta-feira que só anunciará os resultados do segundo turno das eleições presidenciais realizadas em 6 de junho quando tiver revisado todos os recursos e pedidos de impugnação apresentados após o pleito.

O Escritório Nacional de Processos Eleitorais (ONPE) informou ontem que o candidato de esquerda Pedro Castillo venceu, com 50,125% dos votos, a direitista Keiko Fujimori, que obteve 49,875%, após a apuração da totalidade dos sufrágios emitidos no segundo turno.

Com todas as urnas apuradas, Castillo obteve 8.835.579 votos, 44.058 a mais que Fujimori, que recebeu o apoio de 8.791.521 eleitores.

Apesar da finalização da apuração, o vencedor ainda não pode ser proclamado, pois o partido de Fujimori, Força Popular, solicitou o cancelamento de centenas de registros de votação por supostas irregularidades que considera parte de uma "fraude de mesa".

Estes pedidos estão sendo analisados pelos gabinetes descentralizados do JNE, que até agora rejeitaram a maior parte deles por terem sido apresentados fora do prazo ou por carecerem de apoio substantivo.

O plenário da mais alta corte eleitoral do Peru ressaltou que desde a última segunda-feira realiza audiências e sessões públicas nas quais ouve as alegações dos partidos, e depois transmite ao vivo suas sessões de deliberação e votação dos recursos "para dar máxima transparência nas suas decisões perante os cidadãos".

As deliberações sobre os recursos são encaminhadas aos Júris Especiais Eleitorais (JEE) de cada jurisdição para que estes, por sua vez, os encaminhem aos correspondentes Gabinetes Descentralizados de Processos Eleitorais (ODPE) para que, se for o caso, possam ser inscritos no cálculo de resultados.

Posteriormente, quando o JEE não tiver nenhum recurso pendente a deliberar, procederá à divulgação dos resultados no âmbito de sua competência.

Por fim, o plenário do JNE assinará a ata de proclamação geral dos resultados e entregará as credenciais ao candidato que assumirá a presidência do Peru no período 2021-2026, de acordo com a Constituição e a Lei Orgânica Eleitoral.

"Desta forma, o JNE, como órgão constitucional autônomo, procede no respeito do regulamento eleitoral em vigor e no devido processo, de forma que o resultado das eleições seja um reflexo fiel da vontade do cidadão expressa nas urnas", frisou o órgão eleitoral.