PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
15 dias

Lava do vulcão Cumbre Vieja avança de forma mais fluída para o mar

28/09/2021 19h45

Santa Cruz de La Palma (Espanha), 28 set (EFE).- A lava do vulcão Cumbre Vieja, localizado na ilha de La Palma, na Espanha, avança nesta terça-feira de forma mais fluída e está a cerca de 1.000 metros do mar.

Na rota até as águas, o magma entrou em zona de plantação e queimou material plástico e fertilizantes, criando uma novem tóxica que já foi diluída e, aparentemente, não leva qualquer tipo de perigo para as pessoas que vivem na região.

No entanto, as autoridades fizeram a evacuação dos moradores locais, que vivem próximo a uma área de plantação de bananas, onde estavam presentes, entre outros componentes, o amoníaco e tricloreto de boro, entre outros componentes.

Atualmente, a emissão de lava do vulcão é muito maior do que a que foi registrada ao longo da semana passada e, sobretudo, muito mais fluída, em erupção do tipo havaiano ou efusivo, segundo informou o Instituto Vulcanológico das Canárias (Involcan).

Atualmente, depois da reativação da atividade registrada ontem, após dez horas de "trégua" e do encontro com uma montanha, que serviu de barreira para o fluxo de lava, a dúvida dos especialistas é se o material chegará ao mar e, caso se confirme, quando.

O nono dia de erupção do Cumbre Vieja, além disso, teve aumento na emissão de cinzas. A nuvem formada já chega a 7 mil metros de altura, o que fez ser emitido um alerta para o órgão espanhol de aviação civil.

De acordo com os especialistas, o volume estimado, a partir de medidas termográficas, é da geração de 10 milhões de metros cúbicos de cinzas.

Outros dados levados em conta no monitoramento das atividades do vulcão é a emissão de dióxido de enxofre, que registrou nesta segunda-feira uma queda para cerca de 567 toneladas diárias.

Até o momento, 686 edificações foram afetadas por causa da lava, sendo que 589 foram totalmente destruídas. Além disso, 258 hectares foram devastados. Os dados foram proporcionados pelo sistema de monitoramento por satélite Copérnico.

Diante desta situação, o governo da Espanha declarou La Palma como zona de catástrofe e aprovou ajuda de 10,5 milhões de euros (R$ 66,4 milhões) para a região, voltados para a compra de moradias, além de outros itens de primeira necessidade.

Esta é a primeira fase do apoio financeiro, que será seguido do Plano de Reconstrução La Plama, com a reparação e restauração dos danos nas casas, infraestruturas viárias, para o setor agropecuário, áreas florestais, promoção do turismo, entre outros.