PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
1 mês

Candidato derrotado no Equador diz ter documentos que comprometem presidente

26/10/2021 19h14

Quito, 26 out (EFE).- Candidato derrotado nas eleições presidenciais do Equador, ocorridas neste ano, Yaku Pérez afirmou nesta terça-feira que revelará documentos sobre o atual chefe de governo do país, Guillermo Lasso, e o uso de paraísos fiscais para ocultar dinheiro.

"Amanhã, faremos uma apresentação de documentos fresquinhos, do Panamá, que comprometem gravemente o senhor Lasso, que tem vínculos com paraísos fiscais, tanto no Panamá, como em Dakota do Sul (nos Estados Unidos)", disse o terceiro colocado no primeiro turno do pleito, em entrevista concedida em Quito.

A declaração de Pérez acontece dias depois de que uma comissão parlamentar apontou que o presidente do Equador obstrui investigação sobre o caso do chamado Pandora Papers, em que teve o nome mencionado, ao não comparecer para prestar depoimento.

Lasso foi convocado para a audiência de sexta-feira do grupo de inquérito, no entanto, disse que não se apresentaria "sob a proteção da lei".

O presidente afirmou que responderia todas as perguntas da comissão no Palácio de Governo, depois que todos os outros convocados já tivessem participado de audiências.

Pérez foi o terceiro colocado no primeiro turno das eleições presidenciais equatorianas, obtendo 1.798.057 de votos, o que representa 19,39% da preferência dos que participaram do pleito.

O candidato, do Movimento de Unidade Plurinacional Pachakutik, de cunho indigenista, acabou ficando atrás de Lasso, que acabou vencendo no segundo turno, e de Andrés Arauz.

PANDORA PAPERS.

O presidente do Equador se tornou alvo de investigação após ter o nome mencionado no caso Pandora Papers, que indicam a existência de capital e bens em paraísos fiscais no nome de Lasso desde 2017, quando uma nova lei proibiu essa possibilidade para ocupantes de cargos eletivos.

O chefe de governo repetiu diversas vezes que já se desfez dos ativos após a aprovação da lei, em um referendo realizado neste ano, inclusive, porque pretendia se candidatar à presidência.

Na carta que teve autenticidade confirmada hoje, Lasso garante que toda a renda que possui é está declarada no Equador, onde "pagou todos os impostos de acordo com as leis".

oposição, no entanto, quer respostas sobre uma possível transferência de bens de Lasso no exterior e, caso isso tenha ocorrido, se foram escolhidos "laranjas" do presidente. EFE