PUBLICIDADE
Topo

Dez províncias peruanas entram em nível de alerta elevado para a covid-19

30/11/2021 00h03

Lima, 29 nov (EFE).- Dez províncias do Peru entraram em um nível de alerta elevado nesta segunda-feira devido a um aumento dos casos de covid-19, como parte da extensão do estado de emergência sanitária nacional, que foi prorrogado até 31 de dezembro.

O governo peruano informou que as províncias consideradas de alto risco são Chepén, Concepción, Huamanga, Santa, Sullana, Piura, Sechura, Huancavelica, Talara e Virú.

Nessas localidades, estão sendo registrados um aumento do número de casos detectados da epidemia, após uma diminuição drástica nos últimos dois meses a nível nacional.

RESTRIÇÕES E VACINAÇÃO

Nestas províncias, o toque de recolher obrigatório será aplicado agora das 23h às 4h do dia seguinte e a capacidade máxima em espaços fechados será de 40% a 50%, com exceção dos bancos, onde pode chegar a 60%.

Na ampliação do estado de emergência sanitária, também foi especificado que as pessoas vacinadas no exterior também poderão entrar em espaços fechados, fazer trabalho presencial e se deslocar de avião ou transporte terrestre no país.

O governo anunciou que a partir do próximo dia 15 de dezembro essas ações ficarão restritas apenas aos cidadãos que tenham cumprido os dois calendários de vacinação.

Até agora, foram aplicadas 40,8 milhões de vacinas contra a covid-19 no país, e 18,3 milhões de pessoas já receberam as duas doses, o que representa 65% da população-alvo, estabelecida a partir dos 12 anos de idade.

As autoridades sanitárias também confirmaram que em todos os espaços públicos e fechados do país é obrigatório o uso de máscaras de alta segurança ou duas simples.

ENTRADA DE VACINAS DO CHILE E EQUADOR

A norma indica, por outro lado, que a partir de 1º de dezembro, será permitida a entrada por via aérea e terrestre do Chile e do Equador às pessoas que tenham completado a vacinação completa antes de 14 dias ou tenham resultado negativo em teste molecular obtido com 72 horas de antecedência.

No entanto, ficou determinado que as fronteiras terrestres com o Brasil, Colômbia e Bolívia permanecerão fechadas e a restrição de entrada de pessoas da África do Sul também foi confirmada, em princípio até 12 de dezembro.

A medida foi tomada após o surgimento da variante ômicron do coronavírus, cujos primeiros casos foram detectados na África do Sul, quanto em outros países da Europa, Oriente Médio e Ásia.

O Peru suspendeu todos os voos com a África do Sul desde março de 2021, após o surgimento da variante beta, que também se tornou uma preocupação mundial, embora a variante mais predominante no país seja a delta.

Nesse sentido, o Ministério da Saúde iniciou na última sexta-feira a aplicação da vacina de reforço contra a covid-19 para todos os maiores de 18 anos que receberam a segunda dose há cinco meses.

De acordo com o último relatório oficial, o Peru acumula 2.234.075 casos e 201.108 óbitos, o que o torna um dos países com a taxa de mortalidade mais elevada do mundo devido à doença. EFE