PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
1 mês

Cuba diz poder modificar vacinas rapidamente para imunizar contra ômicron

01/12/2021 07h06

Havana, 30 nov (EFE).- O grupo estatal de indústria farmacêutica de Cuba BioCubaFarma anunciou nesta terça-feira que está pronto para modificar rapidamente suas vacinas contra o coronavírus para torná-las eficazes contra a variante ômicron.

"Se necessário, vamos desenvolvê-la em pouco tempo", escreveu no Twitter o presidente da BioCubaFarma, Eduardo Martínez, sugerindo que o importante agora "é continuar o processo de vacinação, incluindo a dose de reforço, e manter as medidas".

Cuba tem três de suas próprias vacinas contra a covid-19 - Abdala, Soberana 02 e Soberana Plus - e anunciou que aplicaria doses de reforço para aumentar a imunidade a novas variantes do vírus SARS-CoV-2. Os imunizantes produzidos na ilha ainda não foram incluídos pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em sua lista de uso emergencial.

A OMS disse que o vírus é preocupante e apelou para uma vacinação acelerada e uma vigilância reforçada. A entidade considera que o risco de transmissão é alto, dada a velocidade com que a variante está desenvolvendo novas mutações potencialmente mais resistentes às vacinas e mais contagiosas.

Nesse contexto, as autoridades sanitárias cubanas já anunciaram que a partir do próximo sábado exigirão um teste PCR com resultado negativo e aplicarão uma quarentena obrigatória de uma semana aos viajantes de África do Sul, Lesoto, Botsuana, Zimbábue, Moçambique, Namíbia, Malawi e Esuatini.

As pessoas procedentes desses países devem apresentar à chegada uma programação completa de vacinação, um resultado negativo de um PCR realizado no máximo 72 horas antes da viagem e serão submetidos a outro teste do tipo na ilha.

Os viajantes que chegam da Bélgica, Israel, Hong Kong, Egito, Turquia e dos demais países da África Subsaariana estarão sujeitos às mesmas medidas acima, com exceção da quarentena e de um novo PCR. EFE