PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
1 mês

No G77, Cuba volta a reclamar de fortalecimento do embargo dos EUA

01/12/2021 07h03

Havana, 30 nov (EFE).- O Ministro de Relações Exteriores de Cuba, Bruno Rodríguez, reclamou nesta terça-feira, durante uma reunião do Grupo dos 77 mais a China (G77+China), que os Estados Unidos endureceram o embargo durante a pandemia e está dedicando fundos para "subverter a ordem constitucional" na ilha.

O chanceler agradeceu aos 134 membros do bloco, inicialmente criado com 77 integrantes, pela "firme queixa" das sanções econômicas "oportunisticamente" apertadas pelos EUA nos últimos dois anos.

Ele manifestou preocupação com o que ele considerava "a imposição recorrente de medidas coercitivas unilaterais", tentativas de minar o multilateralismo e os princípios da Carta das Nações Unidas.

"O mundo está chocado com a pandemia da Covid-19, cujos efeitos exacerbaram as desigualdades e a exclusão", acrescentou Rodríguez, que discursou por teleconferência na reunião, concentrada na resposta global à pandemia.

O chefe da diplomacia cubana também destacou a estratégia do país para enfrentar a crise sanitária provocada pela Covid-19, que inclui a vacinação de toda a população antes do final de 2021. "Cuba jamais renunciará à sua vocação de solidariedade e cooperação humanista, particularmente diante da pandemia", frisou.

O G77+China é o maior grupo gerencial representado nas Nações Unidas e foi criado em 15 de junho de 1964. O objetivo é fortalecer a cooperação econômica e política entre seus parceiros, a maioria dos quais são países em desenvolvimento, e criar melhores condições para negociações conjuntas dentro da ONU. EFE