PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
1 mês

Premiê de São Vicente e Granadinas pede que Caribe abandone a monarquia

01/12/2021 07h00

Castries, 30 nov (EFE).- O primeiro-ministro de São Vicente e Granadinas, Ralph Gonsalves, disse nesta terça-feira ter a esperança de que os países independentes da Comunidade do Caribe (Caricom) "passem de um sistema monárquico para um republicano", como acaba de fazer Barbados.

São Vicente e Granadinas é um país insular que ganhou independência do Reino Unido em 1979, mas que continua vinculado à Coroa britânica, com a rainha Elizabeth II como chefe de Estado.

Gonsalves expôs esta ideia em longa carta na qual parabenizou a primeira-ministra de Barbados, Mia Mottley, por declarar a república e recordou a história dos outros três países do Caribe que já fizeram o mesmo: Guiana, Dominica e Trinidad e Tobago.

"Barbados não está fazendo nada novo, mas de extrema importância para o seu povo e a nossa civilização do Caribe. É a minha esperança que, na minha vida, todos ou a maioria dos países independentes da Caricom passem de um sistema monárquico para um sistema republicano", enfatizou.

O premiê detalhou que "espera sinceramente por essa mudança", tanto no seu país como em Antígua e Barbuda, Bahamas, Belize, Granada, Jamaica, São Cristóvão e Nevis e Santa Lúcia.

Também afirmou que ainda existem colônias britânicas e territórios ultramarinos caribenhos, como Anguilla, Ilhas Cayman, Ilhas Virgens Britânicas, Montserrat e Ilhas Turcas e Caicos.

"O Grande Caribe também está cheio de territórios coloniais ou departamentos das potências coloniais dos Estados Unidos, França e Holanda. Esperamos que todos estes territórios coloniais sigam rumo à independência", escreveu Gonsalves.

Ao concluir, o governante disse que "seria bom ver o fim do colonialismo no Caribe".

Gonsalves esteve presente nesta terça-feira na proclamação de uma república em Barbados e na cerimônia de posse da presidente Sandra Mason, que substitui a rainha Elizabeth II como chefe de Estado. EFE