PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
1 mês

Venezuela não compra remédio para quem vive com HIV desde 2016, diz opositor

01/12/2021 21h19

Caracas, 1 dez (EFE).- O ativista de oposição ao governo da Venezuela Miguel Pizarro afirmou nesta quarta-feira que o governo do país deixou de comprar faz cerca de cinco anos medicamentos para pessoas vivendo com HIV.

"Desde 2016, o Estado não compra os remédios que as pessoas com HIV precisam. Os medicamentos que estão disponíveis hoje em dia, são produto de ajudas provenientes de órgãos internacionais". No entanto, esta acabará em 31 de dezembro deste ano", afirmou Pizarro, em postagem no Twitter.

A mensagem, publicada no Dia Mundial de Combate à Aids, o ativista lamentou que as pessoas com HIV "estejam em risco de ficar sem tratamento para o ano de 2022".

"A isso se soma a terrível realidade dos pacientes resistentes, que não conseguem tratamento no país faz anos", lamentou Pizarro, que destacou que o direito à saúde é obrigação do Estado.

"Na Venezuela, e em muitas partes do mundo, essa condição ainda é marginalizada. Em nosso país, pela negligência, falta de resposta e falta de tratamentos", completou.

De acordo com a diretora na Venezuela do programa das Nações Unidas UNAIDS, Regina López, há 110 mil pessoas que vivem com HIV no país.

Hoje, a representante no país do escritório em Caracas afirmou que o objetivo para 2030 é que não seja registrada qualquer morte causada pela aids no planeta. EFE