PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
1 mês

Indícios científicos apontam que erupção em La Palma pode terminar neste ano

Lava do vulcão Cumbre Vieja, visto de Los Llanos de Aridane na Ilha Canária de La Palma na noite de 9 de outubro de 2021 - JORGE GUERRERO/AFP
Lava do vulcão Cumbre Vieja, visto de Los Llanos de Aridane na Ilha Canária de La Palma na noite de 9 de outubro de 2021 Imagem: JORGE GUERRERO/AFP

08/12/2021 22h04

La Palma (Espanha), 8 dez (EFE).- Indícios científicos apontam que a erupção vulcânica em La Palma deve chegar ao fim ainda neste ano, depois de causar inúmeros danos econômicos e sociais nesta ilha da Espanha.

O diretor técnico do Plano de Prevenção de Riscos Vulcânicos das Ilhas Canárias (Pevolca), Miguel Ángel Morcuende, afirmou nesta quarta-feira que a sismicidade na região onde fica o vulcão, no parque Cumbre Vieja, é "baixa, ou até muito baixa" em algumas profundidades, e os tremores ocorrem cada vez menos. Além disso, também está em queda a presença de dióxido de enxofre.

Porém, cautelosamente, segundo o Pevolca, embora todos os parâmetros da erupção que começou em 19 de setembro tenham diminuído, ainda não foram reduzidos o suficiente para que se possa falar em um fim imediato do processo.

Desde o início das erupções, uma área de mais de mil hectares que incluía cultivos agrícolas foi destruída, segundo dados oficiais.

"Precisamos do fim da erupção para reconstruir a ilha, da qual ninguém deve sair por causa deste fenômeno natural", afirmou o presidente do governo regional das Ilhas Canárias, Ángel Víctor Torres, que se reuniu nesta quarta-feira com o ministro da Presidência da Espanha, Félix Bolaños.

Os dois anunciaram novas medidas com o objetivo de ajudar as pessoas afetadas pela erupção. De acordo com Bolaños, o governo espanhol mobilizou 130 milhões de euros em recursos para La Palma e, antes do final do ano, quer repassar um total de 240 milhões de euros. EFE

Internacional