Reestruturação da PT pode elevar preço da acção para 9 a 10 euros-BPI

Lisboa, 14 Fev (Lusa) - A reestruturação de activos da Portugal Telecom (PT), quer venha ou não a concretizar-se a Oferta Pública de Aquisição feita pela Sonae, pode elevar o valor da empresa para os 9 a 10 euros por acção, segundo os analistas do BPI.

Na nota diária sobre os mercados ibéricos, o BPI diz que "num cenário de reestruturação", a PT pode aumentar o seu valor para os 9 a 10 euros por acção, acima dos 8,2 euros a que a empresa cotava antes do lançamento da OPA pela Sonae.

No entanto, não explica em que tipo de reestruturação está a pensar para o grupo de telecomunicações português, nem que activos assume possam vir a ser vendidos.

O Jornal de Negócios noticia hoje que a administração da PT avalia as acções da empresa em 11 a 12 euros, acima da oferta de 9,5 euros feita pela Sonae a 6 de Fevereiro.

O BPI refere apenas que o conselho de administração, enquanto representante de todos os accionistas, deve pedir o preço máximo que conseguir justificar para as acções da PT.

A possibilidade da entrada do empresário Miguel Pais do Amaral na corrida à compra da PT ou de outros empresários, tal como foi segunda-feira noticiado pela imprensa económica, é positiva para a acção da PT, acrescentam ainda os analistas na mesma nota de 'research'.

O BPI reitera hoje a recomendação de "manter" as acções da PT, atribuindo-lhe um preço-alvo de 8,2 euros, bem abaixo da cotação de hoje de 9,65 euros, numa altura em que não se conhece exactamente qual vai ser o novo grupo PT que surgirá após estas movimentações da OPA.

às 11:50 de Lisboa, as acções da PT seguiam a valorizar 0,73 por cento para 9,64 euros.

IRE.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos