Cidade portuguesa derruba casas em bairro de imigrantes

Lisboa, 22 Mai (Lusa) - Nove casas de Marianas, bairro de imigrantes na cidade de Cascais, Grande Lisboa, começaram a ser demolidas esta manhã sob o protesto de cerca de 20 moradores oriundos da Guiné-Bissau, que dizem que ficarão desabrigados.

Os moradores seguravam faixas com inscrições como "Não às demolições sem realojamento" e "Direito à habitação". Segundo Rita Silva, da associação Plataforma pelo Direito à Habitação, 22 pessoas ficarão desabrigadas, a maioria homens que moram sozinhos. "Esta atitude da prefeitura é um desrespeito pelos pobres", afirmou.

O presidente da Câmara Municipal de Cascais (prefeito), Antônio Capucho, alega que os donos das casas demolidas não estão no Programa Especial de Realojamento - que prevê a erradicação de casas precárias, chamadas de "barracas", na região de Lisboa e do Porto - por terem se instalado no bairro depois de 1993. Segundo ele, todas as famílias já foram ou serão reacomodadas. Desde 1997, 300 casas foram derrubadas.

Trabalhando há dez anos em Portugal, o guineense Will Eduardo disse à Agência Lusa que vai ficar na rua com a filha de dois anos e meio e que recorrerá à Segurança Social. Ele diz que foi informado há cinco dias, por isso não teve tempo de arrumar outro local para morar, o que admite ser difícil: "Os aluguéis são mais de 500 euros e tenho um filho na creche. É muito complicado".

A queixa é partilhada por Nuno Jombate, que vive no bairro desde 1993 e que foi recusado no Plano Especial de Realojamento. "Disseram que era porque sou estrangeiro", contou. Ele afirma ter documentos portugueses.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos